O Coritiba se reabilitou no campeonato paranaense ontem à tarde ao vencer o clássico contra o Paraná por 1 a 0, em pleno Pinheirão. Com a vitória, o Coxa apagou a má impressão deixada na estréia do estadual, quando perdeu para o Iraty por 2 a 1. Em contrapartida, o Paraná ficou em maus lençóis, pois ainda não somou sequer um ponto na competição.

Bastou a bola rolar para que se constatasse que, de fato, o campeonato está começando. As duas equipes, bastante modificadas em relação ao ano passado, protagonizavam erros elementares. E como em clássico a marcação geralmente supera a técnica, o jogo deixava a desejar no quesito empolgação.

Entretanto, mesmo com deficiências, o Coritiba mostrava-se mais objetivo. Tanto que criou as principais oportunidades na etapa inicial. O Paraná atacou menos, mas também teve algumas chances construídas em contra-ataques.

“Perdemos as melhores chances”, lamentou o meia Éder na saída para o vestiário. Para o técnico Saulo, o grande problema do Paraná na etapa inicial foi a marcação. “Temos que corrigir para não darmos tanto espaços”.

A observação do treinador foi oportuna, mas a solução do problema não aconteceu. Foi justamente numa falha de marcação que saiu o gol do Coritiba. Aos 6 minutos, Baresi tentou proteger a bola até que Flávio chegasse, mas o goleiro não saiu. O rápido atacante Bruno, que entrou no lugar do inoperante André Nunes, ficou na cara de Flávio, que não teve outra opção senão derrubá-lo na área. Roberto Brum cobrou com perfeição e abriu o placar.

O gol foi um balde de água fria no Tricolor, que ficou acuado no campo defensivo. Quando todos os indícios apontavam para uma vitória alviverde mais expressiva, o lateral Tesser cometeu duas faltas violentas na sequência e foi expulso.

Foi o que o Paraná precisou para renascer das cinzas. A partir dos 26 minutos, só deu Tricolor. Aos 29 minutos, inclusive, houve um pênalti não marcado pelo árbitro Cleivaldo Bernardo. Vandinho recebeu na área e no comento do cabeceio, foi empurrado. A bola ainda bateu na trave, mas a penalidade não foi apontada. A pressão continuou, com boas investidas, especialmente de Alex. No entanto, o Coritiba, todo na defesa, conseguiu segurar o resultado até o apito final do árbitro.