Durou quase três anos a passagem do atacante Kléber no Coritiba. O Gladiador chegou sob desconfiança, foi peça importante neste período, chegou a ser candidato a ídolo do Coxa, mas deixou o clube para defender o Fluminense em baixa. O Alviverde, que teve no centroavante o seu jogador de referência nos últimos anos, tanto dentro, quanto fora de campo, perde por um lado em experiência, mas tem a chance de procurar um jogador de frente que tenha mais assiduidade na caminhada do clube na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, a partir deste sábado, no duelo contra o Sampaio Corrêa, fora de casa.

Com a saída do atacante Kléber, o Coritiba vai enxugar um pouco a sua folha de pagamento. O Gladiador ganhava em torno de R$ 250 mil e a negociação com o Fluminense aconteceu em comum acordo entre o jogador e o clube. O centroavante, depois do rebaixamento à segunda divisão no Brasileirão do ano passado, deu mostras que não gostaria de permanecer no Verdão, mas foi considerado peça importante pela diretoria alviverde para ajudar o clube nos objetivos da temporada.

Mas as coisas não andaram da forma que o Coritiba gostaria. Kléber disputou, neste ano, apenas cinco partidas. Conviveu com várias lesões, marcou apenas um gol e não justificou a sua importância em campo durante as disputas do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil. A saída de Kléber dá um folego financeiro maior para a diretoria reforçar mais o elenco para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

A trajetória do atacante Kléber no Coritiba foi marcada por altos e baixos. Quando foi contratado, em 2015, o jogador chegou sob a desconfiança do torcedor e da opinião pública. O centroavante, sempre polêmico nos clubes que passou, veio disposto a acabar com a sua fama de ‘bad boy‘. Conseguiu, em grande parte deste período, cumprir bem esse papel, mas conviveu com seguidas lesões.

Neste primeiro ano, atuou poucas vezes pelo Coritiba, mas abriu mão do seu salário depois que passou por uma pequena cirurgia no joelho. Kléber, então, voltou a receber somente quando voltou a ficar à disposição no Brasileirão de 2015. Foi no ano seguinte que o Gladiador marcou sua melhor temporada com a camisa coxa-branca.

Em 2016, Kléber foi o artilheiro do Campeonato Paranaense e peça importante para o Coritiba se manter na primeira divisão do Campeonato Brasileiro. Por isso, em novembro do mesmo ano, com o Verdão garantido na elite do futebol nacional, o jogador renovou seu contrato com o clube por mais duas temporadas.

Kléber conviveu com lesões e suspensões no Coxa. Foto: Albari Rosa.
Kléber conviveu com lesões e suspensões no Coxa. Foto: Albari Rosa.

No ano passado, porém, Kléber voltou a oscilar. Quando esteve em campo, o Gladiador sempre foi importante, sobretudo pela falta de peças de qualidade do elenco coxa-branca. No entanto, acabou prejudicando o Coritiba durante o Brasileirão, na campanha que culminou com o rebaixamento do clube para a segunda divisão.

Logo na reta inicial da competição nacional, Kléber reviveu seus piores momentos na carreira, cuspiu em um jogador do Bahia e pegou 15 jogos de suspensão. Por tal importância que tinha no time coxa-branca, o centroavante prejudicou o Coritiba na luta contra o rebaixamento. A pena até foi reduzida, mas o Gladiador, no final das contas, ficou de fora de 11 jogos do Verdão, mas também conviveu com algumas lesões.

Kléber, agora, já é passado para o Coritiba. Ficaram as lembranças dos 91 jogos que o centroavante esteve em campo e os 41 gols anotados com a camisa alviverde. O time coxa-branca tem, agora, no atacante Bruno Moraes, a sua nova esperança de gols na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. A missão do novo centroavante será, também, de fazer o torcedor alviverde esquecer rapidamente o Gladiador e ajudar o Coxa a conquistar o acesso á primeira divisão.