Grande contratação do Coritiba para a temporada 2013, Alex marcou na partida contra o Fluminense, válida pela 4.ª rodada do Campeonato Brasileiro, quinta-feira passada, seu gol de número 400 na carreira. Por se tratar de um meio-campista de origem, a marca alcançada dá ainda mais notoriedade à trajetória do menino de ouro no mundo da bola. Dono de um currículo irretocável, em 18 anos esbanjando categoria pelo mundo, Alex contabiliza 18 títulos, 400 gols e muitas histórias para contar.

O gol 400, além de ser impactante pelo número em si, foi emblemático para o jogador. Acompanhando a marca pessoal, o tento selou a vitória frente ao atual campeão brasileiro, e colocou o clube pela primeira vez na história na liderança da competição. Por todos esses fatores, Alex elenca o lance protagonizado na última quinta-feira como um dos mais importantes na carreira. “O gol tem que ter uma valia. Claro que 400 é uma marca importantíssima e que me deixa bastante satisfeito, mas seria hipocrisia dizer que os 400 tiveram a mesma validade. Tem gols que realmente a gente valoriza muito e esse tem um valor muito grande. Precisávamos dele pra alcançar nosso objetivo, que era terminar a rodada na liderança”, afirma.

Entre idas e vindas ao longo de 18 anos de serviços prestados ao futebol, o meia foi contabilizando gols por onde quer que estivesse. Na conta até os 400 incluem-se 182 gols pelo Fenerbahçe, 78 defendendo o Palmeiras, 64 pelo Cruzeiro, 49 vestindo a camisa Coxa, do clube do coração, 20 servindo a Seleção Brasileira, além ainda de 3 gols com o Flamengo e Parma. Em recente entrevista Alex listou alguns dos gols mais marcantes. Na memória do jogador, além dos dois marcados na partida decisiva do Campeonato Paranaense e que renderam ao jogador seu primeiro título pelo Coritiba -, também estão gols pela Libertadores e Champions League.

“Prefiro os gols que o peso deles tenha alguma importância pelo momento, tanto meu como do clube. Os dois do Atletiba, por exemplo. Ainda pelo Palmeiras, fiz dois gols contra o River Plate na Libertadores que têm um valor absurdo. Pelo Cruzeiro fiz um gol de letra no Maracanã que encaminhou o título da Copa do Brasil. Em 1995, aqui no Coritiba, fiz um gol contra o Atlético que nos ajudou a subir para primeira divisão. Na Turquia marquei um gol que nos ajudou a passar para as oitavas-de-final da Champions e foi a primeira vez que o clube passou da fase de grupos”, finalizou.