Depois do baque pela goleada sofrida para o Flamengo na quinta-feira, que acabou com as chances do Coritiba continuar lutando pela Libertadores, o técnico Dorival Júnior traça novos planos para a equipe.

A partir de agora o Alviverde luta para chegar na melhor colocação possível no Brasileirão e consolidar o ano da volta à primeira divisão. E para o Coxa se manter bem posicionado na parte de cima da tabela e garantir o lugar na Sul-Americana, vencer o Atlético-MG é obrigação. O confronto contra o Galo está programado para as 19h30 de amanhã no Couto Pereira.

Segundo Dorival Júnior, a Libertadores era um sonho muito distante da realidade alviverde. “Jamais vou criar uma falsa ilusão para o torcedor, porque sabemos o quanto esse campeonato vem sendo regular. Temos que computar esse campeonato muito positivo, porque o Coritiba conseguiu o principal nesses últimos dois anos, que foi um trabalho de recuperação daquela confiança perdida perante ao torcedor”, destaca o treinador.

Em 2007, o Coxa foi campeão da Série B e, em 2008, ganhou o Paranaense, é o melhor time do Estado no Brasileirão e ainda tem a melhor campanha de quem subiu.

Nada mal, mas Júnior quer mais dos jogadores até o fim da competição. “Eu fico contente porque eu estou vendo que o grupo está dando uma resposta muito positiva e o que eu tenho que analisar é que o trabalho vem sendo desenvolvido e todos eles se sentem motivados a estar ainda brigando por posições”, finaliza o treinador do Coxa.

Contra o Galo

“Temos por obrigação finalizar este ano de maneira muito positiva e para isso é natural que bons resultados aconteçam daqui para o fim da competição”, avalia o treinador do Coritiba. E mais.

Para Júnior, o Alviverde precisa passar pelo time das Alterosas até para apagar a má impressão deixada no Maracanã. “A obrigação nós sempre temos e nunca fugimos, independente do adversário ser ou não qualificado. A obrigação é sempre grande de vencer, principalmente jogando em casa e vindo de um resultado ruim. Eu acredito muito nesse grupo e acredito que (a derrota para o Fla) foi um acidente de percurso”, aponta.