Sem poder contar com a dupla titular de volantes nesta reta final do Campeonato Brasileiro, já que Alan Santos e João Paulo estão no departamento médico, o volante Amaral ganhou espaço no Coritiba e não decepcionou. Contratado no início do ano junto com os atacantes Leandro e Vinicius junto ao Palmeiras, o jogador tem ajudado o time do técnico Paulo César Carpegiani a se distanciar cada vez mais da zona de rebaixamento da competição nacional. Amaral deve ser titular novamente no duelo deste domingo, contra o Flamengo, às 19h30, no Maracanã.

O volante alviverde, que viveu altos e baixos na temporada, confirmou a retomada do seu bom momento especialmente na vitória diante do Atlético-MG por 2×0, no Couto Pereira, quando foi um dos melhores jogadores em campo e peça fundamental do Verdão para conseguir derrotar o Galo.

“Realmente no começo do ano iniciei até que bem, mas acabei perdendo espaço, depois me contundindo também. No decorrer do Campeonato Brasileiro me recuperei, mas tinha mudado o treinador (Gilson Kleina por Pachequinho) e com o Pachequinho não tive tanta chance. Com a chegada do Carpegiani tive a oportunidade, pude ajudar contra o Cruzeiro e contra o Sport machuquei novamente. Voltei a trabalhar firme, respeitando os companheiros e, agora na reta final tive a chance e estou podendo ajudar o Coritiba o Coritiba a conseguir os pontos necessários para ficar o mais alto possível na tabela”, contou Amaral.

O volante coxa-branca admitiu ainda que, principalmente quando a equipe alviverde era comandada pelo técnico Pachequinho, chegou a desanimar quando não era relacionado para as partidas. Amaral enalteceu o apoio da sua família para superar os momentos adversos e para dar a volta por cima com a camisa do Verdão.

“Por mais que a gente tenha vivência no futebol, a gente vê as coisas acontecerem e se falar que não desanima eu estaria mentindo. Mas minha família, minha esposa, nos momentos difíceis, conversava bastante comigo para eu ter paciência e ser profissional como sempre fui. Sempre fui profissional, procurei trabalhar, respeitando os companheiros e os treinadores, mas felizmente estou podendo ajudar o clube nessa reta final de campeonato”, emendou Amaral.

Emprestado do Palmeiras, Amaral ainda não sabe qual a intenção do Coritiba em uma possível renovação contratual, mas admitiu que gostaria de permanecer no Verdão para 2017. “Não depende só de mim. O clube me acolheu bem, a cidade é boa e minha família está adaptada. Tenho contrato com o Palmeiras por mais um e não dá para cravar ou falar coisa certa para o ano que vem. Pela minha vontade, com certeza o desejo é de ficar sim”, arrematou Amaral.