Atibaia – O Coritiba vive, claramente, um processo evolutivo. Desde a chegada de Celso Roth, foram quatro jogos, com duas vitórias e dois empates. Mas, apesar da classificação antecipada para a terceira fase da Copa do Brasil, o treinador exorciza qualquer tipo de acomodação. “Eu não estou satisfeito, os jogadores não estão satisfeitos e certamente os torcedores também não estão satisfeitos”, disparou o comandante coxa-branca logo após a vitória por 2×0 sobre a Caldense, em Poços de Caldas.

“Ainda temos um longo caminho a percorrer. O campeonato está só começando”, disse Roth, com o pensamento já voltado para o duelo de amanhã, frente ao São Paulo, pelo Brasileirão. Na partida, o Verdão coloca à prova uma invencibilidade de quatro jogos, período no qual não sofreu gols. A boa fase da defesa é resultado dos ajustes feitos ao longo das últimas semanas e do comprometimento dos jogadores. “Vejo todos muito interessados e buscando o melhor. Uma postura primordial para você crescer”, disse.

A transição foi rápida e com uma diretriz absolutamente simplista: colocando cada jogador em sua posição, arrumando a proteção à zaga e realizando variações pontuais, de acordo com o adversário. “Este é o trabalho do treinador”, ressalta Roth. Frente ao Santos, ele anulou as principais armas do adversário e impôs um ritmo forte de jogo durante os 90 minutos. No interior mineiro, trocou Robinho de lado para explorar a fragilidade de marcação no lado direito da Caldense. “Todos confiam muito no trabalho do Celso e isso está ficando mais claro”, destacou Robinho.

“No futebol, é preciso sequência. Isso traz confiança ao jogador e, consequentemente, o grupo ganha equilíbrio”, comentou Celso Roth, que desta forma fez com que, por exemplo, o futebol de Robinho crescesse muito nas últimas partidas. Outro que está aproveitando as chances é Jajá. Após um bom jogo frente ao Peixe, ele foi decisivo diante da Caldense, marcando um golaço e dando a assistência para Robinho.