Atual executivo de futebol do CSA, Rodrigo Pastana vai processar o técnico Argel Fuchs – sem clube – por acusações feitas em dois áudios enviados a um grupo composto por treinadores de futebol de todo o Brasil. Na mensagem, o ex-técnico do Coritiba chama Pastana de “pilantra, bandido número um, vagabundo e sem vergonha”.

Em entrevista à Gazeta do Povo/Tribuna do Paraná, Pastana afirmou: “Este Senhor ‘desequilibrado’ responderá na Justiça sobre suas insinuações levianas e terá que provar tudo que falou para diminuir o prejuízo que está me causando”.

Ambos trabalharam juntos no Coritiba em 2019. O treinador chegou ao clube em setembro de 2018 por indicação de Paulo Pelaipe, porém, após dois meses, Pastana assumiu a função de executivo de futebol do Coxa e, juntamente com o G5, optou por demitir o treinador em fevereiro de 2019, após resultados abaixo do esperado. Eles também já haviam trabalhado juntos no Figueirense.

“O futebol demanda resultado e quando não obtemos somos demitidos; até o mais ingênuo dos profissionais sabe disto. Me assusta a forma leviana como ele se referiu a mim, pois tive o desprazer de trabalhar com ele por 1 mês em 20 dias no Coritiba. No Figueirense; quando ele chegou; eu recebi um convite para trabalhar no Bahia”, esclareceu o executivo, que já fez uma queixa crime e um ato notorial descritivo para iniciar o processo contra Argel Fuchs.

Pastana acusa Fuchs de fazer “insinuações levianas”

Argel Fuchs esteve à frente do CSA por apenas 18 dias e foi desligado da função na semana passada. Após a demissão, ele enviou dois áudios com acusações sobre Pastana ao presidente do clube alagoano (ouça abaixo), Rafael Tenório, e também compartilhou as mensagens com um grupo de treinadores no whatsapp. Em um dos áudios o treinador afirma que o executivo – que assumiu a função no time nordestino já quando Argel não estava mais na função – tem “esquemas” com jogadores e empresários.

“Eu não faço mais parte da equipe do CSA porque eu não trabalho com vagabundo, pilantra, sem vergonha, safado, com diretor executivo que leva dinheiro de jogador, toma e faz esquema com empresário. Não compactuo com isso. E o CSA contratou um diretor que já tive problemas e alguns dos meus colegas também já teve problema (sic) com esse pilantra, essa é a palavra certa. Queria deixar isso registrado até porque algum de vocês vai trabalhar com esse diretor executivo e alguns de vocês já tiveram o desprazer de trabalhar. Esse cara é um mal para o futebol. Ele já teve problema com vários companheiros nossos, em dois lugares, no Figueirense e Coritiba. A gente precisa saber quem são os diretores pilantras e esse é o bandido número um. Vagabundo, sem vergonha”, afirmou Argel.

Pastana disse à Tribuna do Paraná/Gazeta do Povo que o técnico responderá na Justiça pelas acusações.

“Não nasci no futebol e tive duas empresas; meus interesses profissionais no futebol são ideológicos e não materiais. Recebi ligações de vários treinadores do Brasil dizendo para eu ignorar, mas não irei. Este senhor ‘desequilibrado’ responderá na Justiça sobre suas insinuações levianas e terá que provar tudo que falou para diminuir o prejuízo que está me causando”, finalizou Pastana.

Samir Namur comenta sobre caso

Procurado para falar sobre a relação entre os dois dentro do Coritiba, o presidente Samir Namur afirmou:

“Nunca houve desentendimento nenhum entre os dois. Argel foi dispensado porque o trabalho e os resultados eram ruins. Portanto, avaliação normal de diretoria. Pastana fez um ótimo trabalho em 2019 (time mais barato da história) e não conseguiu repetir em 2020. Por isso também foi dispensado. Acusações vagas de quem perdeu o emprego mais uma vez, em grupo de WhatsApp, não incomodam ninguém. Todos os contratos do clube ficam à disposição do Conselho Fiscal, assim como toda a contabilidade. Se alguém tem alguma acusação a fazer, precisa ser mais específico e apresentar provas”, finalizou.

Ouça os áudios de Argel Fuchs

+ Mais do Coxa:

+ Jorginho admite que Coritiba precisa trazer reforços com “mentalidade de Série A”
+ Cristian Toledo: Na base do “saber sofrer”, Coritiba volta a vencer
+ Vilson Ribeiro destaca que não será “nem oposição e nem situação” no Coritiba


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?