Entra técnico, sai técnico e o Coritiba segue sofrendo com a sua ineficiência ofensiva nesta Série B do Campeonato Brasileiro. Com apenas 30 gols marcados em 29 partidas, o time coxa-branca tem apenas o 12º melhor ataque da competição. Falta, especialmente, de uma sequência maior para os jogadores de frente, já que, até agora, muitos passaram pelo setor, mas poucos conseguiram se firmar.

+ Leia também: Após 45 dias parado, Carlos Eduardo pode voltar a ser opção

Na verdade, o único jogador de frente do Alviverde que conseguiu se firmar foi o atacante Guilherme Parede. O camisa 77 vem se destacando pelas suas boas apresentações e também pelos gols importantes que tem feito durante a Série B. Sozinho, ele fez oito gols, quase um terço do total do Coxa na Segundona.

De resto, muitos jogadores passaram pelo sistema ofensivo do Coritiba, mas poucos conseguiram se destacaram. Até mesmo por conta dessa alta rotatividade nas posições de frente criou-se uma dificuldade maior para os quatro treinadores que passaram pelo Verdão nesta Série B conseguirem dar uma identidade para aumentar o poder de fogo da equipe.

+ Mais na Tribuna: Após seis meses fora, Alan Costa chora em volta ao Coritiba e emociona grupo

Dar essa sequência é algo que o técnico Argel Fucks vem tentando fazer neste começo de trabalho. O treinador comandou o time no empate em 1×1 diante do CRB, em Maceió, e na vitória sobre o Avaí por 1×0, no Couto Pereira, e conseguiu repetir o quarteto de frente nesses dois compromissos. Mesmo assim, os dois gols feitos nesses jogos foram do zagueiro Rafael Lima e do volante Vitor Carvalho, em duas cobranças de bolas paradas.

Argel Fucks, diferente dos outros comandantes, que optaram, na maioria das vezes, por escalar um homem de criação e três atacantes, mudou o esquema do Coritiba. Optou pela escalação de dois meias e dois atacantes. Assim, formaram o setor de frente nesses dois últimos jogos os armadores Jean Carlos e Chiquinho, além dos atacantes Guilherme Parede e Alecsandro. O quarteto deve ser repetido no duelo de sexta-feira (5), contra o Juventude, às 21h, no Couto Pereira.

+ Entenda mais: Times que brigam pra não cair são a pedra no sapato do Coritiba

A rotatividade no setor foi tão grande que, nesta Série B, foram utilizados sete meias de criação e nada menos do que nove atacantes nesses 29 duelos do Verdão na competição. No meio de campo, agora ocupado por Jean Carlos e Chiquinho, já foram utilizados Alisson Farias, Carlos Eduardo, Kady, Thiago Lopes e Yan Sasse.

Guilherme Parede, pelas boas atuações e pela eficiência demonstrada ao longo da Série B, foi o que mais atuou, com 23 participações. Alecsandro, que virou titular com Argel, Bruno Moraes, Guilherme, Iago, Jonatas Belusso, Nathan, Pablo e Pablo Thomaz também foram opões, mas nenhum conseguiu emplacar grandes atuações e uma sequência no time titular.

Com isso, o Coxa só tem o ataque mais positivo do que oito times. Talvez essa escassez de gols ao longo da competição explique a campanha irregular até agora no torneio. São Bento, Paysandu, Vila Nova, Brasil de Pelotas, Sampaio Corrêa, Boa Esporte, Juventude e CRB marcaram menos gols e destes somente o time goiano está brigando na parte de cima da classificação. Por outro lado, Fortaleza e Goiás, que ocupam as duas primeiras posições e estão com o acesso à primeira divisão encaminhado, apresentam os melhores ataques, com 43 gols anotados cada.

Confira a classificação completa da Série B

Assim, a começar pelo jogo de amanhã, o Verdão terá que aumentar seu poder de fogo para seguir sonhando com o acesso à primeira divisão. Terá que, sobretudo, melhorar seu rendimento e ser mais eficiente nas chances que forem criadas para perseguir a tão esperada arrancada na reta final da Série B.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!