Pressionado na temporada, o Coritiba acumula dois vexames no início da temporada e evidencia as carências no elenco para 2019. O Coxa pretende contratar quatro reforços a curto prazo e revelou duas posições: um volante e um atacante de lado. As novidades devem ser divulgadas até o dia 8 de março.

A grande mexida, entretanto, começou na beira do campo. O executivo de futebol Rodrigo Pastana trouxe o técnico Umberto Louzer para a vaga de Argel Fucks após a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil para a URT. A avaliação do grupo passará pelo novo treinador, que assumiu o Verdão na última segunda-feira (25).

+ Na bronca: Torcida organizada faz protesto em treino do Coxa

O primeiro atleta a chegar é o zagueiro Wallison Maia, que estava emprestado ao Vitória e será incorporado ao elenco. Na zaga, Alan Costa e Sabino formaram uma boa dupla no Estadual. O risco fica no banco de reservas, haja visto que Alex Alves, Geovane e Romércio não se firmaram até agora. Rafael Lima segue procurando um clube para atuar.

“A gente sabe que tem algumas lacunas, como atacantes de lados e volantes, onde a gente tem poucas peças. A gente continua procurando. É claro que o mercado é complicado, principalmente com todos os estaduais em andamento, mas o torcedor pode ficar tranquilo porque, até dia 8, a gente deve ter novidades”, declarou o dirigente durante a semana.

+ Leia também: Coxa contrata responsável por crescimento da receita do Inter

A análise interna no Verdão é de que é necessário um volante com mais qualidade técnica para sair ao jogo e chegar ao ataque, seja armando ou arriscando chutes. O nome, anteriormente, era Alex Santana, mas o ex-Paraná parou no Botafogo e não pode ser envolvido na negociação de Guilherme Parede ao Internacional.

Fabiano é titular da lateral-esquerda, mas ainda não convenceu. Foto: Cassiano Rosário
Fabiano é titular da lateral-esquerda, mas ainda não convenceu. Foto: Cassiano Rosário

Vitor Carvalho e João Vitor, atuais titulares, possuem características mais defensivas e de desarmes, sem o vigor técnico para ajudar a propor o jogo, como é o desejo do clube. Sendo assim, apenas um deles deve seguir no time para abrir a vaga ao contratado. A outra opção é Matheus Bueno, que até tem essa característica, só que ainda parece estar cru ou sem confiança para assumir a responsabilidade. A alternativa seria utilizá-lo aos poucos para ser um suplente útil para a sequência do ano.

No ataque, as dificuldades são antigas. Os jogadores de lado do time até possuem certa velocidade, porém os cenários das partidas não são típicos para essas jogadas em contra-ataque, e sim em mais tentativas de ganhar no 1×1 contra o adversário ou em tabelas rápidas para furar o bloqueio defensivo dos rivais. Em tese, seriam necessários mais dois atletas e não apenas um.

+ Mais na Tribuna: Coritiba tenta amadurecer após início negativo em 2019

Dos atacantes disponíveis, Juan Alano, que veio do Inter, mostrou ter mais capacidade para esse tipo de função e deve ser mantido no time, apesar de apresentar características para jogar de forma mais central. Iago Dias e Nathan, por outro lado, não conseguem vingar e tendem a perder espaço. Welinton Junior, que também joga no setor, está na fase de transição e fica disponível para a Taça Dirceu Krüger. Igor Paixão e Pablo Thomaz, das categorias de base, são as outras opções.

Durante a semana, outro problema grave surgiu. O goleiro Wilson passou por uma cirurgia na mão e não estará disponível por seis a oito semanas. Rafael Martins e Gabriel Bubniak aparecem como possibilidades imediatas. Enquanto isso, a direção está atenta para não deixar passar nenhuma oportunidade pontual no mercado. A tendência é de que, mesmo com a volta do ídolo, o Coritiba busque um arqueiro.

Juan Alano vem convencendo desde que entrou no time, mas pode render mais. Foto: Albari Rosa
Juan Alano vem convencendo desde que entrou no time, mas pode render mais. Foto: Albari Rosa

Por fim, na lateral-esquerda, Fabiano é titular absoluto, mas não convence com suas atuações irregulares. Patrick Brey, que ainda nem estreou, também foi contratado e anda precisa ser avaliado. Para a Série B, pode haver a necessidade de alguém que passe mais segurança.

Até aqui, o Coritiba fez 11 contratações: os laterais Felipe Mattioni, Sávio, Fabiano e Patric Brey, o volante João Vitor, os meias Giovanni e Juan Alano e os atacantes Welinton Júnior, Rodrigão e Wanderley.

“No coletivo, ainda estamos devendo e vamos construindo uma equipe. Ano passado a pré-temporada foi maior, não teve troca tão cedo de treinador, e quando isso acontece, você volta à estaca zero. Na avaliação individual, principalmente dos novos contratados, não acho que fizemos más contrações, pelo contrário. Fizemos contratações pontuais e boas contratações. Existem lacunas que são decorrentes do não acesso, mas aqui não é lugar de chorar”, finalizou Pastana.

A estreia do Alviverde na Taça Dirceu Krüger será contra o Cianorte no dia 10 de março, um domingo, às 16h, no Estádio Albino Turbay.

+ APP da Tribuna: As notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!