Um mês. Esse é o tempo que a diretoria do Coritiba, liderada pelo técnico Sandro Forner, tem para dar um novo rumo ao time para conseguir brigar pelo acesso na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Longe de empolgar o torcedor alviverde e eliminado da Copa do Brasil pelo Goiás, o Verdão tem pouco tempo para qualificar seu elenco e assumir o status de candidato a voltar à primeira divisão do ano que vem.

Diante de um quadro financeiro complicado, o presidente Samir Namur, ainda na sua campanha, em dezembro do ano passado, garantiu que o primeiro trimestre de 2018 não teria grande investimento no futebol. Foi o que aconteceu. O Coxa decidiu promover Forner e vários jogadores das categorias de base e foi pouco ao mercado. Assim, diante das quase 30 saídas de atletas com relação ao Brasileirão do ano passado, a equipe ainda está em processo de construção.

Mesmo com a conquista do título do primeiro turno do Campeonato Paranaense, o Coritiba precisa melhorar muito para iniciar a disputa da Série B. Depois da eliminação da Copa do Brasil, o próprio Namur admitiu que o Coxa, com esse time, terá muitas dificuldades na disputa da Segundona.

Muitas apostas da diretoria não deram certo. No último final de semana, o diretor de futebol do clube, Augusto de Oliveira, garantiu que algumas mudanças no elenco iam acontecer. A primeira delas foi o empréstimo do meia Ruy para o América-MG. O bonde de dispensas não deve parar por aí e, neste mês que antecede a disputa da Série B, o elenco deverá sofrer muitas mudanças.

Comandante do Alviverde, Sandro Forner está tendo seu trabalho contestado pela torcida. O treinador, inclusive, teve sua saída pedida pelo torcedor nos últimos jogos realizados no Couto Pereira. No entanto, apesar de ainda não mostrar um grande trabalho e de não conseguir dar um sentido mais ofensivo à equipe coxa-branca neste começo de trabalho, o comandante segue prestigiado no cargo pela diretoria.

Assim, os próximos 30 dias serão decisivos para o Coritiba chegar em boas condições para a largada da Série B. Mudanças no elenco serão inevitáveis. Agora, o Verdão terá a final do Paranaense pela frente. Já eliminado do segundo turno, o Coxa vai se preparar para a grande decisão, em busca do bicampeonato do torneio.

Do lado de fora, fica até complicado para a diretoria e a comissão técnica pedir paciência ao sofrido torcedor, que ainda está ferido pelo rebaixamento no final do ano passado. O Alviverde precisa, na verdade, mudar. Mudar para melhor e para escrever, até o final da temporada, uma história diferente. De preferência com um final feliz.