O momento é de reflexão no Coritiba. Irregular durante o 1.º turno do Campeonato Brasileiro, o que o distanciou da luta por vaga na Libertadores 2014, neste 2.º turno o objetivo do Coxa é ser mais consistente. Para tanto, comissão técnica e jogadores ajustaram os ponteiros, analisando a fundo a atual campanha. Em meio a erros e acertos, entre os principais pontos na cartilha alviverde está o fraco desempenho como visitante.

Apesar de o planejamento do clube seguir inalterado, o saldo do 1.º turno não foi o projetado antes do início do Brasileiro. Sobretudo depois de um início de competição irretocável, onde a equipe permaneceu invicta por 10 rodadas, das quais alcançou a ponta da tabela em três delas. Após uma acentuada queda técnica da 11.ª rodada em diante, o Coritiba não conseguiu manter a pegada, e já não acompanha o pelotão da frente como antes. Atualmente na 7.ª colocação, com 28 pontos – 2 a menos que os 30 projetados para o 1.º turno -, o time está 6 pontos atrás do G4 e a 12 do líder Cruzeiro.

Para o zagueiro Chico as sucessivas lesões de alguns dos principais atletas do elenco contribuíram para a queda de rendimento. “O calendário no Brasil está muito puxado e a gente tem jogadores acima dos 30 anos que acabam sentindo um pouco mais, como o Alex, o Lincoln e o Deivid. Além disso, a equipe oscilou um pouco na reta final do turno. Acredito que nenhuma equipe consiga manter durante as 38 rodadas o mesmo padrão de jogo. Como começamos bem o campeonato, terminando os cinco primeiros jogos na liderança, a gente pode dar esse sprint também no 2.º turno para chegar no bloco da frente”, projeta.

Outro ponto que preocupa todos no clube é o aproveitamento fora do Couto Pereira. Em 10 jogos como visitante, o Alviverde alcançou apenas uma vitória: 1 x 0 no Grêmio. “Temos que buscar essas vitórias fora de casa para aumentar nosso percentual de aproveitamento (26%). Apesar de termos jogado bem em algumas ocasiões, acabamos saindo com empates ou derrotas. Esperamos que no returno as vitórias venham”, disse o técnico Marquinhos Santos.

Já Alex recorda dos pontos desperdiçados em casa -empate sem gols contra o Internacional e por 1 x 1 diante de Vitória e Portuguesa, além da derrota por 1 x 0 para o Vasco. “O que realmente nos complicou foram os pontos perdidos dentro do Couto Pereira. Se tivéssemos mantido uma performance melhor, hoje teríamos mais pontos e estaríamos mais próximos”, analisa o capitão alviverde.

Objetivos alcançados

Não por coincidência, o rendimento da equipe voltou a crescer desde o retorno de Alex aos gramados. Decisivo contra o São Paulo na última rodada (2 x 0) o jogador lembra que os objetivos traçados até o atual momento da temporada foram alcançados. “Tem que se manter equilibrado e focado dentro de seus objetivos. O nosso sempre foi manter a hegemonia do Estado, e conseguimos (com o tetracampeonato, onde Alex teve papel fundamental) e obter uma vaga para a Libertadores, o que está em aberto. Claro que já tivemos momentos melhores na tabela. Hoje estamos um pouco mais atrás, mas ainda da para buscar o pessoal da frente. É em torno disso que temos trabalhado no dia-a-dia”, completa Alex.