Contato com a bola. É isso que o meia Carlinhos Paraíba quer a partir de domingo, quando entrar em campo pelo Coritiba para enfrentar o Iraty. No ano passado, ele divergiu com Dorival Júnior sobre posicionamento em campo. O ex-treinador queria ele de volante e até pela ala-esquerda.

Este ano, ao contrário, o técnico Ivo Wortmann testou o jogador nessas posições e não gostou do que viu. Por isso, professor e aluno até já conversaram e definiram que o camisa 10 vai atuar onde se sente melhor. E onde é este setor? Para Paraíba é onde passa a bola em direção ao gol.

“Cada jogador sabe onde se sente bem, onde vai render. Tem que haver conversa com o professor para buscar na melhor condição”, avisa o meia. E já houve essa conversa? “A gente está conversando para que saia da melhor forma possível. Acho que vou jogar onde me sentir bem”, revela.

De acordo com ele, não adianta ficar na ala ou lateral e não ajudar a equipe. “Jogando de ala ou lateral não dá para eu ajudar. Ele já viu e eu passo muito tempo sem pegar na bola. Acho que tenho que ser colocado mais no meio, com mais contato com a bola para aparecer mais para o jogo”, aponta.

Por enquanto, Paraíba vai onde está mais habituado ou quase isso, já que será o segundo volante no esquema 3-5-2, que dá uma mais liberdade para sair com a bola dominada e chegar ao ataque.

“Espero fazer um bom trabalho. Sabemos das dificuldades da competição, que é muito disputada, com três clubes grandes disputando o título”, analisa. E como o Coritiba é o atual campeão, Paraíba diz que a cobrança é maior. “A responsabilidade aumenta e não vai ser diferente este ano”, destaca.

No domingo, ele tem a posição garantida contra o Iraty, mas para ter uma sequência na competição terá que mostrar serviço, porque Pedro Ken está em plena recuperação física e vai entrar na briga por um lugar no time.

Marlos também larga na frente e será titular. Na reserva estão Renatinho, Dinelson, João Henrique, Ruy, Tiago Real e Adriano – todos também estão lutando pela preferência de Ivo Wortmann.