Se intramuros a contratação do meia Ronaldinho Gaúcho ainda divide opiniões dentro da diretoria do Coritiba, no elenco, a possível chegada do astro para reforçar o setor de criação parece agradar os jogadores do Verdão. O zagueiro Juninho, revelado na base alviverde, não escondeu a vontade de ver o experiente meia vestindo a camisa verde e branca na temporada de 2017.

“Eu vejo como uma ajuda não só para o elenco como para a instituição. Seria uma boa contratação, pois é um cara experiente, que já jogou no Barcelona e na seleção. Isso vai nos favorecer para o resto do ano”, apontou ele.

O volante Edinho também gostaria de ter Ronaldinho Gaúcho como seu companheiro e listou os benefícios que o clube teria com a sua contratação. “É um cara que não precisamos falar do talento dele. E, em termos de visibilidade, para o Coritiba, seria fantástico também. A gente sabe que não é uma negociação fácil, mas a gente fica na torcida para que dê certo”, acrescentou.

Principal nome do atual elenco coxa-branca, o atacante Kléber, que foi um dos artilheiros do futebol brasileiro na última temporada, também torce pelo acerto do meia.

“Acho que seria bem bacana. A gente realmente gostaria que acontecesse, mas sabemos que é uma situação complicada, não é tão fácil, até por tudo que ele já fez pelo futebol e pelo nome que tem. A gente torce para que dê certo”, destacou o Gladiador, em entrevista à Rádio Transamérica.

Carpegiani aprova

Se dentro do elenco a contratação do jogador parece ser unanimidade, a diretoria ainda diverge sobre o assunto. Apesar do segundo vice-presidente do Coxa, Gilberto Griebeler, afirmar que a comissão técnica não gostaria de ver o atleta no clube, o técnico Paulo César Carpegiani, após o jogo-treino contra o 3 de Febrero, na noite de quarta-feira (18), falou sobre o assunto e, diferentemente do que foi falado pelo cartola, gostaria de contar com Ronaldinho Gaúcho.

“É a primeira vez que tenho a oportunidade de fazer qualquer tipo de declaração. Nosso diretor expressou uma opinião que seria minha, mas que não é verdade. Já liguei para ele e disse que não teria o direito em fazer isso”, esclareceu o treinador.

“Ronaldinho, com as duas pernas amarradas, continua sendo um grande jogador. Gostaria de contar com o Ronaldo, mas isso é um problema da direção que é quem precisa decidir”, arrematou ele.