Em meio à má fase do Coritiba na Série B do Campeonato Brasileiro, poucos jogadores estão se destacando em campo. Os principais deles são o goleiro Wilson, ídolo da torcida e que salvou o time em diversas partidas, e o atacante Guilherme Parede, artilheiro coxa-branca no ano, com 11 gols. Mas um outro nome do elenco também vem sendo importante e pode ser decisivo neste último respiro em busca do G4.

+ Leia também: Argel mantém mistério e dúvidas pro duelo com o Avaí

Contratado na metade de julho, quando quase o primeiro turno inteiro da competição já havia sido disputado, o zagueiro não demorou muito para ganhar a titularidade e conquistar bons números. Até aqui, Rafael Lima participou de 12 jogos com a camisa coxa-branca, conquisando três vitórias, cinco empates e quatro derrotas, além de dois gols marcados, ambos decisivos, na vitória por 2×1 sobre o Boa Esporte e no empate em 1×1 com o CRB. Sem falar que em quatro oportunidades que ele esteve em campo, o Alviverde não sofreu gols.

No entanto, em entrevista exclusiva à Tribuna, o zagueiro minimizou este destaque individual e ressaltou que o mais importante seria o time como um todo estar rendendo o que era esperado quando o torneio começou.

“Na minha visão não vale nada (ser um dos destaques do time). A individualidade nunca vai superar o coletivo. Conversamos muito sobre isso, para que todos possam melhorar e possam contribuir. Não adianta nada chegar no final do ano e não subir. Ninguém vai lembrar, talvez só do Wilson, por ser um ídolo do clube”, destacou o atleta.

Histórico

Com apenas 37 pontos, o Coxa está oito atrás do G4 e apenas seis à frente da zona de rebaixamento. Restando apenas mais dez jogos para o término da Série B, somente uma campanha impecável nesta reta final pode fazer o Coritiba sonhar com o acesso à elite. Pelo que apresentou até aqui, é difícil imaginar que esta volta por cima aconteça, mas o defensor conhece bem o caminho para chegar lá.

+ Mais na Tribuna: Encostados podem ser a esperança do Coritiba pelo G4

Rafael Lima veio para dar um ‘espírito de Série B’ ao grupo. Aos 32 anos, o zagueiro já conquistou dois acessos, em 2013 com a Chapecoense e 2017 com o América-MG, quando, inclusive, foi o capitão do time. E as duas campanhas podem trazer lições para o Verdão.

“Na Chapecoense e no América-MG conseguimos arrancadas no final do campeonato. No América-MG foram cinco vitórias consecutivas, seis jogos sem perder. É o que precisamos aqui agora. Temos que acreditar verdadeiramente”, relembrou.

Rafael Lima é um dos mais experientes do elenco do Coxa e vem se destacando também pela forte marcação.Foto: Marcelo Andrade
Rafael Lima é um dos mais experientes do elenco do Coxa e vem se destacando também pela forte marcação.Foto: Marcelo Andrade

Confiança

E para acreditar que é possível conquistar nove vitórias em dez partidas a confiança interna precisa ser recuperada. Com apenas duas vitórias nas últimas dez rodadas, o Alviverde despencou na tabela e isso vem incomodando o elenco. Mas, de acordo com o xerifão coxa-branca, a vinda do técnico Argel Fucks pode reverter este quadro.

“A falta de resultados deixa a confiança abalada. Tem jogadores que chegaram recentemente e trocar o pneu com o carro andando é mais difícil. Estamos tentando nos acertar, mas sem resultados a pressão é maior. Isso afeta todos, a confiança está abalada. O Argel chegou com novas ideias e nos mostrou que podemos chegar. Não temos mais margem de erros”, destacou ele, que acredita que esta troca no comando técnico pode ser determinante no aspecto emocional.

+ Sabia mais: Sem promoção, ingressos para o duelo com o Avaí já estão à venda

“O Argel tem um perfil de muita confiança. Não que os outros não tivessem. O Tcheco é um cara espetacular e contribuiu muito com a gente. O Eduardo (Baptista) foi o responsável pela minha vinda, conhece bem futebol. Mas o Argel chegou com o objetivo de mexer com o grupo, mostrar que quem estiver melhor vai jogar e estamos tentando ter os resultados”, ressaltou.

Mas, independentemente da situação vivida até aqui, o foco no Coritiba é seguir acreditando. Embora admita que a campanha até aqui é frustrante e que fugiu do esperado, Rafael Lima garantiu que ainda acredita no acesso e que ninguém pode desistir.

“O principal é todos acreditarem. Foi um grupo montado pensando em acesso. Não estamos caminhando da maneira que queríamos, mas ainda tempos possibilidade e vamos em busca disso. Não podemos desistir”, afirmou o jogador.

Confira a tabela completa da Série B

Só que o camisa 31 sabe que a última oportunidade de acreditar no G4 passa pelo duelo direto de sábado, no Couto Pereira, contra o Avaí, justamente o quarto colocado da tabela.

“Com certeza é decisivo. Eles estão oito pontos à nossa frente e não teremos mais esse confronto direto. Se não conseguirmos a vitória, fatalmente vamos diminuir nossas chances de acesso. Temos que reunir forças e junto com a nossa torcida vamos em busca do resultado, que vai nos dar um respiro no campeonato”, completou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!