Pelo menos nos números, o Coritiba tem vivido um dos seus melhores momentos na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Sob o comando do técnico Jorginho, o time coxa-branca, depois de seis jogos, tem 72% de aproveitamento e voltou a figurar no G4 da segunda divisão. Mas, apesar do ótimo retrospecto do treinador, em campo a equipe tem oscilado e ainda não convenceu.

Não conseguiu sequer jogar uma partida inteira de forma consistente e que fosse capaz de convencer o torcedor de que conseguirá, ao final da competição, comemorar o acesso à primeira divisão. O empate em 2×2 contra o Vila Nova, no último sábado (19), em Goiânia, escancarou a fragilidade de algumas peças do Alviverde e, talvez, a falta de capacidade de peças de reposição de jogadores importantes.

Ficou de positivo o poder de reação do Coritiba, que, depois de errar demais no primeiro tempo e de sair perdendo por 2×0, conseguiu arrancar um empate importante já nos acréscimos e que o garantiu por mais uma rodada dentro do G4.

Mas antes do empate em Goiânia, o Coxa, sob o comando de Jorginho, teve no máximo bons momentos, mas que foram suficientes para o treinador garantir o melhor rendimento dos últimos comandantes do clube na temporada. Conseguiu, então, tirar o Verdão da zona intermediária da tabela para voltar a brigar de forma direta e definitiva pelo acesso.

Na sua estreia, diante do América-MG, no Couto Pereira, depois de abrir dois gols de vantagem, recuou excessivamente e tomou um sufoco desnecessário no final, sobretudo depois que o Coelho conseguiu o gol, na metade do segundo tempo. Com muito custo, conseguiu a vitória por 2×1, mas o técnico, na ocasião, criticou o recuo da equipe nos minutos finais.

Na rodada seguinte, Jorginho conheceu sua única derrota até aqui. No clássico contra o Paraná, na Vila Capanema, perdeu por 2×0 com uma atuação muito ruim, bem parecida com o roteiro do duelo contra o Vila Nova.

+ Confira a classificação completa da Série B!

Na sequência, veio sua melhor sequência no comando do Coritiba. Nos dois jogos em casa, contra Guarani e Criciúma, o Alviverde venceu por 1×0 as duas partidas, mas não teve grandes atuações. Teve sim, bons momentos, mas os três pontos valeram muito mais do que qualquer apresentação de encher os olhos diante do torcedor.

Diante do São Bento, lanterna da Série B, o Coxa fez seus melhores 45 minutos com o treinador. Foi mais regular, jogou com intensidade e foi para o intervalo vencendo por 2×0. Mas, no segundo tempo, cometeu velhos erros, recuou demais, levou um gol de um dos piores times da Segundona, tomou sufoco até o final, mas conseguiu sair de campo com os três pontos.

Até mesmo por conta dessa falta de regularidade nas atuações recentes, o Alviverde vai para o duelo contra o Operário, nesta quinta-feira, às 21h30, no Couto Pereira, ainda sob desconfiança da torcida, que terá promoção de ingressos. No entanto, o técnico Jorginho, com 72% de rendimento até agora, mesmo que diminua esse índice para 52% até o final da Série B, pode conseguir o tão esperado retorno à primeira divisão.

Leia mais:

+ Herói do Coxa, Giovanni pode ter gol como divisor de águas