A possível volta do atacante Kléber já no duelo decisivo deste domingo diante do Sport, às 18h, na Ilha do Retiro, em Recife, pode ser o algo a mais que o Coritiba precisa nesta reta final de Campeonato Brasileiro para conseguir escapar do rebaixamento. Não apenas pela sua liderança em campo, o Gladiador prova nos números que é fundamental para o Verdão na competição nacional e que, se não tivesse ficado um turno inteiro de fora, a realidade do clube poderia ser outra.

Neste Brasileirão, com Kléber em campo, o Coritiba, em 11 jogos, conseguiu cinco vitórias, quatro empates e perdeu apenas duas vezes, totalizando rendimento de 57%. Este é o aproveitamento atual do Grêmio, que está na quarta posição e brigando por uma vaga na Libertadores.

Já quando o atacante não jogou, o aproveitamento do Coxa caiu drasticamente. Em 19 jogos, conseguiu vencer apenas três vezes, empatou quatro e foi derrotado nada menos do que 12 vezes. Esse rendimento de 22% nas partidas sem o Gladiador pode explicar a queda de rendimento do Verdão no Brasileirão que, no início do ano chegou a disputar a liderança, e agora está afundado na zona de rebaixamento.

O Coritiba, mesmo tendo investido bastante na contratação de atacantes para essa temporada, não conseguiu achar um substituto a altura para o seu artilheiro. O diretor institucional do Coxa, Ernesto Pedroso, admitiu a falta de um nome de peso na frente na caminhada do clube neste Brasileirão.

“Não que o clube seja dependente de um jogador, mas se tivéssemos o Kleber, teríamos um outro padrão e condição de jogo. Sem dúvida, falta um nome na frente que ataque mais e que coloque o Coritiba com um atacante efetivo”, afirmou o dirigente, em entrevista à Banda B.

Depois de disputar o início do Campeonato Brasileiro, Kléber se envolveu em uma confusão com o volante Edson, do Bahia, no empate sem gols entre os clubes no Couto Pereira. Os dois jogadores trocaram cusparadas e o Gladiador pegou 15 jogos de suspensão.

Quando conseguiu reduzir sua pena para 11 partidas, foi suspenso mais uma vez, desta vez por duas rodadas, por ter criticado publicamente o STJD e a postura da entidade nos julgamentos. Por último, após jogar no empate em 1×1 com o Atlético, na Arena da Baixada, o centroavante precisou passar por uma artroscopia no joelho e deve retornar agora, diante do Sport.

Confira a classificação completa do Brasileirão

A volta dá uma confiança de dias melhores ao Coritiba, sobretudo nesta reta final de Brasileirão. O meia Tiago Real destacou a importância do companheiro nestes jogos decisivos que o Alviverde tem pela frente.

“É um cara decisivo, de grupo e que motiva. Os adversários olham para ele como referência. É um cara importantíssimo para nós, contamos muito com ele. Mesmo sem jogar, ajuda de outras maneiras. É um ídolo hoje no Coritiba. Esperamos que ele volte o mais rápido possível. Ficamos mais fortes do que já estamos, o que nos dá uma convicção maior de sair ali de baixo”, apontou ele.

Atacante de referência do Coritiba na ausência de Kléber, Henrique Almeida também comemorou o retorno do Gladiador ao time. “Essa volta vai nos ajudar. Todos sabem da qualidade dele e como ele joga.

No começo do ano demos certo eu e ele, mais ou menos na mesma função, mas dividimos legal. Todos que voltam de departamento médico ou suspensão vêm para somar. Nosso grupo é bom. Quanto mais peças à disposição será melhor nesses jogos que temos pela frente”, arrematou.