Se engana quem pensa que o Coritiba fará grandes contratações já para os primeiros meses de 2018. Com os pés no chão e buscando se enquadrar na realidade financeira do clube, a nova diretoria, liderada pelo presidente Samir Namur, vai tentar enxugar a folha de pagamento de R$ 4 milhões, gastos em 2017, para R$ 1,3 milhão. Com isso, o time coxa-branca deve ser composto por uma mescla de jogadores mais jovens que estão subindo das categorias de base e de atletas mais experientes que ainda têm contrato com o Verdão para o próximo ano.

O goleiro Wilson, o zagueiro Werley, o lateral-esquerdo William Matheus, o volante João Paulo e o atacante Kléber, que têm contrato vigente, deverão formar a espinha dorsal mais experiente do Coritiba para a largada da temporada. O arqueiro e ídolo coxa-branca, no entanto, tem uma proposta do futebol turco, mas a sua permanência deve ser prioridade para a atual diretoria.

Além desses cinco importantes jogadores, o Coritiba contará também no seu elenco principal com atletas que estão subindo das categorias de base. A escolha por efetivar o técnico Sandro Forner do sub-20 para o time profissional tem muito a ver com essa renovação do elenco.

Do time que foi vice-campeão brasileiro sub-20, comandado justamente por Forner, os laterais Léo Andrade e Marcos Moser, os zagueiros Romércio e Thalisson Kelven (ambos já jogaram no time profissional), os meias Julio Rush e Vitor Carvalho e os atacantes Mosquito e Índio deverão compor a equipe principal. Todos eles têm a confiança do treinador e deverão ter oportunidades na disputa do Paranaense.

Kléber será um dos líderes do Coritiba na próxima temporada. Foto: Marcelo Andrade
Kléber será um dos líderes do Coritiba na próxima temporada. Foto: Marcelo Andrade

Além deles, Samir Namur confirmou que alguns jogadores que têm seus contratos se encerrando ao final de 2017 poderão permanecer. Os nomes desses jogadores estão sendo mantidos em sigilo e dependem da avaliação da nova comissão técnica. No entanto, o zagueiro Cléber Reis, o volante Jonas e o meia Daniel devem receber proposta para continuarem no Verdão.

Diante dessa realidade, o dirigente garantiu que poucas contratações serão feitas para esse início de temporada. Somente em posições mais carentes, chamadas de peças pontuais, serão buscadas pela diretoria no mercado. Assim, uma das prioridades deve ser encontrar um meia de criação de qualidade, que foi a principal deficiência do Verdão em 2017, quando caiu para a segunda divisão do Brasileirão.

“O Coritiba, hoje, tem um elenco de 29 jogadores com contrato, o que é um número muito grande. O espaço para contratação e para renovação não é gigantesco. Você vai ter que ser muito específico e muito pontual. Já houve algumas conversas, especialmente com o Sandro, para que alguns atletas tenham o vínculo renovado. Então, a gente vai estabelecer algumas negociações, mas sempre pensando que temos uma obrigação orçamentária. Ninguém vai fazer loucura nenhuma para que algum desses jogadores fiquem”, afirmou ele, em entrevista à Rádio Banda B.

O Coritiba terá também, para o início da temporada, o retorno de jogadores que estavam emprestados e possuem vínculo com o clube. O volante Ícaro, os meias Thiago Galhardo, Ruy, Thiago Lopes e Kady, além dos atacantes Rafhael Lucas e Evandro, devem ter suas situações avaliadas pela comissão técnica.