Uma vitória em três jogos. É disso que o Coritiba precisa nesta reta final de Campeonato Brasileiro para não depender de ninguém e assegurar de vez sua permanência na elite do futebol nacional de 2017. A vitória por 1×0 sobre o Santa Cruz, anteontem, no Couto Pereira, apesar de não ter vindo acompanhada de uma grande atuação, trouxe muito mais tranquilidade para o time coxa-branca, que atingiu os tão sonhados 45 pontos e ficou bem perto de se livrar definitivamente de qualquer risco de queda à Série B.

Agora com 45 pontos, o Verdão, que tinha já poucas chances de ser rebaixado à segunda divisão, tem somente 2% de risco de queda segundo o site Infobola, do matemático Tristão Garcia. Mas apesar de ter dado um passo importante na luta contra a degola, o discurso no Coxa ainda é de cautela e é encabeçado pelo técnico Paulo César Carpegiani.

“No domingo (contra o Flamengo) queremos buscar o resultado e assim sucessivamente. Independente do adversário e da nossa posição, não temos condições de fazer qualquer tipo de relaxamento”, frisou o treinador após o jogo contra o Santa Cruz.

O Coxa terá pela frente, domingo, às 19h30, o Flamengo, no Rio de Janeiro, mas o duelo mais importante do Verdão nesta reta final será diante do Vitória, dia 28, no Couto Pereira. O time baiano ainda luta contra o rebaixamento e, pela diferença entre as duas equipes na classificação do Brasileirão, até mesmo um empate pode livrar o Coritiba de degola matematicamente faltando apenas uma rodada para o final do campeonato.

Apesar da tranquilidade a mais na classificação, a coletiva pós jogo do técnico Paulo César Carpegiani deixou em alguns momentos a vitória sobre o Santa Cruz de lado para tratar do futuro do treinador no Verdão. No início desta semana, foi divulgada uma entrevista com o comandante alviverde dando contato que, ao final do Brasileirão, o técnico não permaneceria no Coxa. A entrevista concedida por Carpegiani não pegou bem entre os dirigentes alviverdes.

Segundo ele, não era o momento para falar sobre o seu futuro no clube com o Verdão ainda envolvido na luta contra o rebaixamento no Brasileirão. “Sou grato ao Coritiba e ao torcedor, que merece o melhor respeito. Talvez tenha até me equivocado, me precipitado em responder dessa forma, fiz correndo e me pegou meio de surpresa, eu fui respondendo. Eu particularmente estava meio estressado, inoportunamente dei essa declaração, peço desculpas ao torcedor, não era o momento adequado. Eu deveria ter lido as perguntas, não tive tempo, deveria ter respondido melhor”, justificou.

Carpegiani, de fato, tem feito um bom trabalho a frente do time coxa-branca. O Verdão saiu de uma das piores defesas do Brasileirão para uma das mais eficientes nesta reta final da competição nacional. Mais do que isso, no returno, o Coritiba tem a oitava melhor campanha e, sob o comando do treinador, ainda não perdeu jogando dentro do Couto Pereira na competição nacional. Motivos não faltam para a cúpula alviverde procurar Carpegiani para uma possível renovação, mas agora, apesar dos números positivos, não há clima para definir a permanência do experiente treinador no clube para 2017.