Visitante inofensivo. É esta fama que o Coritiba pretende ao menos minimizar neste sábado (9), às 18h30, contra a Chapecoense, na Arena Condá, onde a equipe estreia no Brasileiro 2015.

Desde que retornou à Série A, em 2011, o clube carrega um pífio desempenho quando atua como forasteiro. Em quatro temporadas, venceu apenas dez vezes longe do Couto Pereira. Empatou outros 22 jogos, totalizando 52 pontos conquistados – com aproveitamento de 22,8%.

Para efeito de comparação, o Cruzeiro bicampeão nacional (2013 e 2014) somou 64 pontos em duas temporadas a menos.

A campanha do ano passado foi a pior delas. O rendimento foi de 21% (11 derrotas, seis empates e dois triunfos), a terceira mais inofensiva do campeonato – só os rebaixados Criciúma e Botafogo tiveram números piores.

Titular no primeiro jogo fora de casa em 2014 (0 a 0 contra a mesma Chapecoense), o lateral-esquerdo Carlinhos acredita que o elenco sabe que é preciso ter mais atitude na estrada.

“Nosso time sabe da importância do jogo”, garante o camisa 6. “No Brasileirão, temos de pontuar, buscar pontos fora, porque toda equipe sabe das dificuldades [encontradas longe de casa]. Não podemos perder pontos já no começo”, enfatiza.

Outra estatística endossa a timidez alviverde fora de seus domínios. Nas 76 partidas das últimas quatro edições do Nacional, o Coritiba conseguiu apenas duas vitórias de virada. Ou seja, o histórico aponta chance mínima de conquistar os três pontos quando sofre o primeiro gol.

As exceções aconteceram contra o Santos (3 a 2, em 2011); e Náutico (4 a 3, em 2012). Em ambos os duelos o técnico coxa-branca era Marcelo Oliveira.

Não entra na conta o duelo contra o Grêmio, no ano passado, quando o Alviverde saiu na frente, viu o adversário virar, mas conseguiu a vitória no Rio Grande do Sul, por 3 a 2.

“Estamos trabalhando, os mais experientes têm conversado com os mais novos, trocado ideias para mantermos os pés chão e sabermos que a partida não acaba no momento em que tomamos um gol”, explica o zagueiro Welinton.

“O Marquinhos [Santos, técnico] teve essa conversa com a gente e frisou muito bem isso. Existe a chance de sairmos atrás no placar, mas podemos melhorar [durante o mesmo jogo]”, diz o meia Thiago Galhardo, que pode estrear no confronto em Chapecó.

Lesionado, o atacante Wellington Paulista está fora do jogo. Já o zagueiro Luccas Claro, que não atuou na derrota para o Fortaleza, quarta-feira, pela Copa do Brasil, volta ao time titular. No ataque, Negueba forma dupla com Rafhael Lucas.