O Coritiba entra em campo nesta quarta-feira (10), às 21h30, para encarar o Athletico sabendo que tem muita coisa em jogo. Claro que o mais importante é conquistar a Taça Dirceu Krüger e chegar à final do Campeonato Paranaense. Porém, derrotar o Furacão na Arena da Baixada significaria ainda mais.

A começar pelo fato de justamente não deixar que o troféu, que tem o nome de um dos maiores ídolos da história do clube, vá parar nas mãos do maior rival. Só que, mais do que isso, o técnico Umberto Louzer sabe que vencer este clássico pode ser um divisor de águas para a sequência da temporada.

+ Leia também: Coxa tem um desfalque e uma dúvida pro clássico

Por isso, a preparação para este jogo vai além da parte tática da equipe. O treinador ressaltou que, mesmo jogando fora de casa e diante de um adversário que vai para cima em seus domínios, não quer o Coxa retraído em campo.

Só que, mais do que isso, o técnico Umberto Louzer sabe que vencer este clássico pode ser um divisor de águas para a sequência da temporada. Por isso, a preparação para este jogo vai além da parte tática da equipe. O treinador ressaltou que, mesmo jogando fora de casa e diante de um adversário que vai para cima em seus domínios, não quer o Coxa retraído em campo.

+ Mais na Tribuna: Coritiba contrata destaque do FC Cascavel no Paranaense

“São vários fatores. A preparação é muito importante, o nível de concentração. Clássico é decidido em detalhes, temos que estar com a concentração redobrada. Futebol é imposição e esperamos amanhã nos impor, jogarmos de maneira organizada. Não podemos fugir daquilo que estamos trabalhando”, afirmou o comandante alviverde.

Atacar o Furacão, aliás, foi o discurso que Louzer mais usou antes do último treinamento. A ideia é usar o ponto forte do rival também a seu favor, mesmo que o Rubro-Negro esteja ‘desfalcado’ por conta do duelo da Libertadores de ontem.

“São alguns padrões que vão se repetindo. É importante ter esse conhecimento, estamos estudando bastante o adversário e buscando o nosso jogo para chegarmos ao gol. Temos que pensar no todo. O Atetico tem uma característica de jogo, estamos nos precavendo em relação a isso. Claro que as características individuais de cada atleta, de cada um que estará em campo, os jogadores do Coritiba estarão sabendo. Acredito que pelo modelo de jogo do Athletico, eles vão manter a estrutura de jogar ofensivo. Cabe a nós neutralizar estas ações e explorar o que eles vão nos oferecer. Não vão mudar a maneira de jogar”, ressaltou.

+ Viu essa? Campeonato Paranaense vai diminuir em 2020

Os próprios jogadores evitam pensar no time que o Athletico mandará a campo e sabem que vencer na Arena mais uma vez este ano é o mais importante. Mesmo que fosse outro adversário nesta final e que o resultado coloca o time na briga pelo título estadual, bater o rival dá um gostinho especial. Até por isso, o volante João Vítor vê o Coritiba com a responsabilidade de ganhar a partida.

“A responsabilidade aqui é grande e a cada jogo, independentemente do rival. Nosso pensamento é sempre nas vitórias. A questão do time do Athletico, se é o A ou o B, vocês sempre colocam Atletiba. Independentemente de quem está do outro lado é um Atletiba”, destacou ele.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!