O Coritiba não demorou muito para definir o seu novo treinador depois da demissão de Pachequinho. Após a diretoria se reunir durante todo o dia, o clube chegou a um acordo com Marcelo Oliveira no final da tarde desta quinta-feira (20). Aos 62 anos, o comandante volta ao Coxa depois de cinco anos.

Na primeira passagem pelo clube, entre 2011 e 2012, o técnico ficou marcado por conquistar dois títulos estaduais, quando emplacou 24 vitórias consecutivas, além de ter chego a duas finais da Copa do Brasil. Marcelo estava sem trabalhar deste o final do ano passado, quando foi demitido do Atlético-MG.

Ele já ira acompanhar o Coritiba contra o Flamengo neste sábado (22), às 19h, na Ilha do Urubu, quando o time será comandado pelo preparador físico Robson Gomes.

Quem definiu a contratação de Marcelo Oliveira foi o próprio presidente Rogério Portugal Bacellar, que conversou diretamente com o treinador. As duas partes chegaram a um acordo na questão salarial, o que ajudou no retorno do comandante, que aceitou diminuir a pedida.

A volta, aliás, por pouco não aconteceu meses atrás. Quando Paulo César Carpegiani foi demitido, o Coxa sondou o técnico, que recusou o convite por querer ficar mais tempo com a família, assim como fez com o Sport, que também o procurou antes da chegada de Vanderlei Luxemburgo.

Desta vez, o retorno aconteceu. E em um patamar diferente. Quando chegou, no final de 2010, Marcelo vinha por indicação de Ney Franco, que estava indo para as categorias de base da seleção brasileira. Tinha trabalhos esporádicos no Atlético-MG e uma passagem regular no Paraná Clube. Agora, vem com um bicampeonato brasileiro (2013 e 2014) pelo Cruzeiro, um título da Copa do Brasil (2015) pelo Palmeiras e um novo patamar no futebol paranaense.