O empate em 1×1 diante do Vitória, no Couto Pereira, não foi o desfecho do primeiro turno da Série B do Campeonato Brasileiro esperado pelo Coritiba. Com 34 pontos, o time passou por altos e baixos na primeira metade do torneio, mas vive agora seu melhor momento e, por isso, esperava melhor sorte.

+ TRIBUNA ESTREIA SEU PODCAST DE FUTEBOL PARANAENSE! SAIBA COMO BAIXAR E OUVIR O PODCAST DE LETRA!

Afinal, o Verdão demorou, mas finalmente criou uma identidade, tem feito boas apresentações e os dez jogos que sustenta de invencibilidade na competição nacional demonstram que o clube tem o caminho aberto para conseguir seu retorno à elite do futebol brasileiro.

+ Leia mais: Coxa é condenado a pagar bolada pra ex-treinador

Mas quem vê o Coritiba agora, com atuações seguras e dando, de fato, esperanças ao torcedor, não imagina como foi o início da sua trajetória na Série B deste ano. O time demorou para engrenar. Além de não ser constante nos resultados, as atuações abaixo da média não davam qualquer perspectiva de que poderia brigar na parte de cima da classificação.

Por isso, o Coxa passou por momentos complicados, sobretudo depois da derrota no clássico para o Paraná Clube no Couto Pereira lotado. Na ocasião, o técnico Umberto Louzer ficou na corda bamba e não caiu graças à vitória conquistada diante do Guarani, nos acréscimos e com um gol de pênalti do goleiro Wilson, na última partida antes da parada para a Copa América.

+ Veja ainda: Louzer elogia desempenho do Coxa, mas quer mais capricho nas finalizações

No retorno dos jogos depois de um mês de treinamentos, o Coritiba foi derrotado para o modesto Criciúma, fora de casa, com mais uma atuação ruim. Na rodada seguinte, diante do São Bento, no Couto Pereira, somente a vitória manteria o treinador no cargo. Apesar do sufoco, o Coxa conseguiu os três pontos. Foi, na verdade, o divisor de águas para que o time melhorasse sua performance e, assim, conquistasse melhores resultados.

Desde então, o Coritiba não perdeu mais na Série B, com seis vitórias e quatro empates. Diante do Vitória, o resultado de 1×1 não acompanhou o que foi a partida. O time coxa-branca teve desempenho. Até mais do que em vários jogos em que conseguir vencer dentro do Couto Pereira na Segundona. Mas o resultado acabou distanciando um pouco o clube do Bragantino, líder isolado da competição nacional, apesar de ter mantido o Verdão consolidado no G4 do torneio.

+ Também na Tribuna: Time e torcida seguiram mesma sintonia no Couto Pereira

“Esse é o caminho. Por isso a gente nunca supervaloriza a vitória e sabe analisar os momentos de revés. Saio satisfeito com o desempenho, mas claro que o resultado nos chateia. Vendo a chateação dos atletas no vestiário prova que estamos no caminho certo. É uma competição árdua, difícil. Nossa meta era passar os 30 pontos. Claro que a gente queria estar com 36, mas chegamos aos 34”, avaliou o técnico Umberto Louzer.

Se pelo menos repetir esse desempenho no segundo turno, o Coritiba vai garantir o retorno à primeira divisão neste ano. Possivelmente, chegará aos 68 pontos e, historicamente, raramente um time que atingiu essa pontuação não conseguiu subir para a Série A. O site Chance de Gol coloca o Alviverde com 85% de chances de acesso. Mas o comandante prevê um returno ainda mais complicado e espera que o Coxa siga evoluindo para consolidar seu retorno à elite do futebol brasileiro.

+ Confira a classificação completa da Série B!

“Internamente, a gente cria algumas metas. A competição ficará ainda mais difícil no segundo turno. Falei aos jogadores, que os times já se conhecem e temos que treinar e melhorar mais, criar variações e dificultar o sistema defensivo dos adversários. Hoje a gente tem uma identidade e uma maneira de jogar. Temos que continuar trabalhando com os pés no chão, melhorando e na frente colher tudo o que temos plantado com esse retorno à primeira divisão”, arrematou Louzer.