Se quinta-feira os jogadores e o técnico Ney Franco trabalharam no Couto Pereira e mataram a saudade do estádio alviverde, hoje é dia de “reencontrar” a torcida. Não em casa, claro. Verdade que alguns abnegados têm ido em todos os jogos em Joinville, mas a expectativa de arquibancada cheia mesmo, na Arena catarinense, deve ocorrer somente neste sábado, diante do Sport Recife. Final de semana, jogo à tarde, Festival de Dança na “Manchester” são alguns atrativos que podem motivar os coxas-brancas a acompanharem o time a partir das 16h10.

A expectativa dos jogadores é de que hoje ocorra o reencontro entre o time e a galera alviverde. “Jogamos contra o ASA e o estádio estava lotado. Estamos enfrentando alguns times com o estádio lotado e a gente sabe que a torcida faz a diferença. Sabemos que é difícil para o nosso torcedor ir a Joinville, mas esperamos que eles possam nos incentivar amanhã (hoje), para tudo ficar mais fácil”, destaca o lateral-direito Angelo. O atacante Betinho também torce para isso. “Vai ser muito bom. Espero que a torcida vá, compareça e nos apoie para a gente conseguir essa vitória”, projeta. O técnico Ney Franco avalia que a presença da torcida pode fazer a diferença contra o Sport. “É básico para qualquer equipe vitoriosa. Além de jogar bem, ter bons atletas e um bom trabalho, é importante ter o torcedor do lado. Quanto mais torcedores do nosso lado, aumenta a possibilidade de vitória. Além do que, é melhor jogar com casa cheia do que com casa vazia”, explica. Se a torcida comparecer, a promessa é de que verá dedicação total. “O torcedor pode esperar empenho do Coritiba porque vamos fazer o máximo para sair com a vitória”, garante o meia Dudu.

Campo atrapalha

O maior problema da Arena, no entanto, tem sido o campo pequeno e escorregadio. “Não podemos colocar a desculpa no campo porque vai estar ruim para as duas equipes e temos que entrar com bastante força e determinação para conseguir a vitória”, pondera. Assim, o jeito é encarar o Sport como mais uma decisão para buscar a liderança ou, ao menos, a segunda colocação. “Conheço bem o Sport porque sou lá de Recife. A equipe deles é experiente,  mas  temos condições de vencer”, finaliza Betinho.