O Coritiba confirmou seu bom momento na temporada ao vencer seu terceiro jogo seguido na disputa do Campeonato Paranaense diante do Rio Branco, na noite de domingo (26), no Couto Pereira. Apesar da atuação segura diante do Leão da Estradinha, o atacante Kléber não estava nas suas melhores noites. O Gladiador desperdiçou duas chances incríveis e a oportunidade de se isolar na artilharia do Estadual. O centroavante alviverde, porém, comemorou a vitória e o crescimento do time coxa-branca sob o comando do técnico Pachequinho.

Veja como foi a vitória do Coritiba sobre o Rio Branco!

“A gente estava precisando (da sequência de vitórias). Como eu disse, a gente vem em uma crescente e em um momento importante da competição. Temos a última rodada e depois já o mata-mata. O time está entrosando e crescendo em um momento importante do campeonato”, afirmou Kléber.

O Rio Branco, apesar de não estar na área de classificação do Paranaense, vendeu caro a vitória para o Coritiba. O time de Paranaguá, até pela situação delicada na classificação, abandonou a retranca durante grande parte da partida e propôs o jogo em alguns momentos. O zagueiro Walisson Maia ressaltou a importância de mais três pontos conquistados no Estadual.

“Foi um jogo difícil e eu comentei com o Wilson. Foi o primeiro time que propôs o jogo aqui no Couto Pereira. Os outros adversários vieram muito fechados. Foram mais três pontos importantes. Tivemos chances de fazer mais e eles também criaram. No gol deles a bola acabou desviando em mim, mas o mais importante foram esses três pontos”, avaliou o defensor alviverde.

Autocrítica

Diante do Rio Branco, quando o Coritiba já vencia por 2×0, Kléber perdeu duas chances incríveis de ampliar a vantagem e transformar em goleada a vitória sobre a equipe do litoral do Estado. Mesmo tendo perdido as oportunidades, o Gladiador foi apoiado pela torcida e teve seu nome gritado pelo público presente no Couto Pereira.

“O torcedor tem cobrado bastante. Eles têm que entender que se eles derem força, a confiança da equipe aumenta e os jogadores terão capacidade de jogar melhor. O torcedor cobra e alguns jogadores acabam sentindo. Hoje (ontem) eles apoiaram o tempo todo. Independentemente de eu ter errado o gol, foi displicência da minha parte. Era um lance fácil e a gente vai com displicência no lance e acaba perdendo o gol. Fico feliz, pois mesmo perdendo, a torcida ter aplaudido. Espero que seja assim até o fim da competição e vamos dar o melhor para sair com o título”, finalizou Kléber.

Análise: Por que não manter Pachequinho?