A chegada do técnico Paulo César Carpegiani trouxe dias mais calmos para o Coriitba. Com sete pontos conquistados dos nove disputados, o treinador mudou definitivamente os rumos do Verdão no Campeonato Brasileiro depois da vitória por 2×1 sobre o Santos, domingo, no Couto Pereira. É a prova também de que a diretoria insistiu demais com o interino Pachequinho e de que, caso tivesse optado pela troca antes, o Coxa, talvez, estaria em uma situação mais confortável na classificação.

Desde que Carpegiani chegou, há pouco mais de duas semanas, a primeira preocupação era ajeitar a defesa. A equipe alviverde está tendo algumas dificuldades, mas está apresentando um futebol mais competitivo e eficiente do que já apresentou neste Brasileirão. Na vitória sobre o Santos, depois de manter sua defesa em linha no primeiro tempo e de passar alguns sustos, o time alviverde se manteve seguro defensivamente e só tomou o gol por causa do passe errado do volante João Paulo nos pés de Ricardo Oliveira. Mas segundo Carpegiani, a partir deste lance e do gol sofrido é que o Coxa conseguiu se arrumar na partida.

“Tivemos uma infelicidade e ali contribuiu para ganharmos o jogo. O grande finalizador do Santos era o Ricardo (Oliveira), e acabei tirando o lateral para colocar o Juan pelo lado esquerdo. Daí tivemos mais desenvoltura. Imprimimos um ritmo, entrou o Evandro se posicionado bem e ele tem velocidade e técnica para ser o companheiro do Kleber. Iago entrou bem com força e velocidade. Esse é o Coritiba que eu quero. Nós imprimimos o nosso ritmo e fizemos justiça ao resultado. Eu gostei muito”, explicou o treinador coxa-branca.

Sob o comando dele, o Coxa resgatou também seu espírito de luta durante os jogos e esse fator foi, para o técnico, determinante para a conquista da importante vitória diante do Santos. “É uma vitória importante e suada, onde o time que teve que se superar. Isso foi importante porque mostra que o time tem brio e alma para fazer um grande segundo turno”, acrescentou.

Carpegiani, neste início de trabalho, está resgatando alguns jogadores esquecidos ou pouco aproveitados sob o comando de Pachequinho. O atacante Evandro é a prova disso e, diante do Santos, o camisa 17 entrou na etapa final, deu outro ritmo ofensivo ao Verdão e participou diretamente no gol de empate.

Iago, que com Pachequinho vinha tendo uma alternância de bons e maus momentos, fez um belo gol e deu a vitória ao Verdão. “Gosto dessa garotada, dessa entrega em demasia. O Iago eu tenho muito em conta e é uma alternativa. Teve a felicidade de fazer um gol e começa a te colocar um pulga atrás da orelha”, cravou o treinador.

Custo Benefício! Veja mais sobre o futebol paranaense na coluna do Mafuz!