Fora do G4 e sem jogar bem, o Coritiba terminou o primeiro turno da Série B do Campeonato Brasileiro com o sinal de alerta ligado. Mesmo estando apenas dois pontos atrás do Atlético-GO, quarto colocado, o Coxa deixou muito a desejar na primeira parte da Segundona. Não apenas na pontuação, mas principalmente na sua produtividade durante as 19 primeiras rodadas. Por isso, o Verdão terá que mudar da água para o vinho no segundo turno e fazer uma campanha de campeão para conseguir seu retorno à elite.

Se levar em consideração a pontuação alcançada nos últimos anos pelos times que conseguiram a quarta colocação e o acesso, o Coritiba terá que fazer pelo menos 36 pontos para atingir os 64 necessários para disputar a Série A em 2019. O Fortaleza, por exemplo, campeão do primeiro turno, já soma 37 pontos e está na liderança isolada do torneio.

O Coxa terá que mudar especialmente sua campanha como visitante. Ao mesmo tempo que tem o melhor rendimento como mandante da Segundona, o Alviverde está entre os clubes com pior aproveitamento quando joga fora dos seus domínios. A fragilidade ficou evidente no último sábado, na Arena Castelão, quando foi amplamente dominado pelo Fortaleza e acabou perdendo o confronto direto por 2×1.

“Temos que fazer um segundo turno diferente, principalmente nos jogos fora de casa. Dentro da nossa casa a gente conseguiu pontos, mas fora de casa deixamos muito a desejar. Esse jogo contra o Fortaleza é o retrato disso”, apontou o técnico Eduardo Baptista.

O início do segundo turno abre um novo ciclo para o Coritiba na Série B. Um novo tempo, sobretudo de mudança de atitude e comportamento. Esse é o foco do treinador, que, por conta da fragilidade do elenco e de reforços contratados recentemente para corrigir a rota do planejamento que fracassou até agora, ainda não encontrou um time ideal para colocar em campo.

“É preciso ter essa mudança de comportamento. Você faz aqui (em Fortaleza) um jogo dos sonhos em 20 minutos, com variação, imposição, mas passa 70 minutos sofrendo. Estamos atentos, observando jogadores que deram a resposta. A gente vai observar tudo isso. De repente fazer mudanças de peça dentro do time, avaliar o sistema e dentro disso ver a peça que pode nos ajudar e adequar o sistema para essa peça. Com isso, vamos fazer um segundo turno diferente e dar uma resposta para a torcida”, reforçou o comandante coxa-branca.

Confira a classificação completa da Série B

O Coritiba chegou ao fim do primeiro turno sem convencer seu torcedor que poderá brigar pelo acesso até o final da Série B. A meta do Verdão, então, é apresentar um futebol mais competitivo. Assim, os resultados serão consequência do que o time conseguir mostrar em campo a partir de agora para tentar retornar à elite em 2019.

“Temos que melhorar muito e fazer um segundo turno totalmente diferente, por plasticidade de jogo, em termos de confronto, de postura. Temos o maior orçamento. Não vou aqui falar que é o maior clube, mas é um dos clubes grandes e nós, jogadores, comissão técnica, não podemos apresentar um futebol como esse apresentado no primeiro turno‘, encerrou Baptista.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!