O Coritiba persegue amanhã – às 19h30, no Couto Pereira – a sua primeira sequência de vitórias no Brasileirão. A irregularidade, até aqui, incide diretamente na tabela de classificação, relegando o Verdão à lanterna da competição, apesar da recente vitória no clássico. Amanhã, a decisão é contra um adversário direto na luta pela sobrevivência na Série A. O Criciúma, 18º colocado, tem apenas um ponto a mais que o time de Marquinhos Santos, que conta com todos os jogadores, à exceção do zegueiro Welinton, para essa ‘final’.

Até aqui, o Coritiba emplacou apenas seis vitórias nesta Série A. Todas isoladas. O primeiro triunfo foi frente ao Goiás (3×0), mas aí veio a parada da Copa do Mundo e, no retorno, o Verdão perdeu, e em casa, para o Figueirense (2×0). Quando derrotou o Grêmio (3×2), em Porto Alegre, mais uma vez o time fracassou na rodada seguinte, no Couto, só empatando com o Corinthians (0x0). Na sequência, a equipe venceu o Vitória (2×0), mas foi derrotada pelo Palmeiras (1×0), na rodada seguinte, resultado que determinou a queda de Celso Roth.

Na era Marquinhos Santos, a inconstância está diretamente ligada à instabilidade do Coxa como visitante. As vitórias sobre Chapecoense (3×0) e São Paulo (3×1) foram seguidas de derrotas para Santos (2×1) e Sport (1×0). Agora, no embalo da vitória no clássico, o Verdão projeta uma arrancada capaz de colocar o time fora da ZR. Caso derrote o Criciúma, o Coxa sai das últimas colocações se Botafogo e Vitória não vencerem Palmeiras e Goiás, respectivamente. “Seguimos trabalhando jogo a jogo. O desafio é estar fora da ZR no dia 7 de dezembro, data da última rodada”, destaca o técnico Marquinhos Santos.

No que depender do desempenho em casa, sob a direção de Marquinhos, o Coxa tem um caminho de reação bem pavimentado. Desde a mudança do comando técnico, o clube saltou de um desempenho de apenas 28,57%, no Couto Pereira, para 66,67%. Até o fim da temporada, serão mais seis jogos em casa e, caso obtenha desempenho máximo, o Verdão tem grandes chances de conseguir consolidar a sua fuga da degola. “Precisamos dessa energia positiva da arquibancada. É o primeiro passo para atingirmos nosso objetivo. Mas, sabemos que não podemos nos fixar apenas no desempenho em casa. O Coritiba tem que ser forte, independente do local da partida”, avisou o treinador coxa-branca.