Após a repercussão negativa da notícia de que o Coritiba teria demitido funcionários, mas mantido o salário de jogadores, o clube emitiu nota oficial nessa quinta-feira (30) para explicar que também irá pagar menos para integrantes do departamento de futebol por causa da crise gerada pela epidemia do novo coronavírus.

No texto, o Coxa confirma que ocorreram demissões de alguns funcionários e que outros terão redução salarial ou suspensão de contrato. “A extensão do isolamento social e todas as medidas relativas à suspensão das atividades e disputa dos campeonatos acarretaram em perda drástica de receita, referente à bilheteria, sócios, patrocinadores e direitos de transmissão”, justifica o clube.

Na parte relacionada ao departamento de futebol, onde estão os maiores salários, o clube confirmou que ocorrerão cortes, o que atingirá desde a base até os jogadores profissionais.

“Além de demissões, todo o quadro do futebol de base terá o contrato de trabalho suspenso, haja vista a indefinição sobre realização das competições. No profissional, demissões também foram realizadas e todos os funcionários remanescentes (comissão técnica e atletas) terão redução de 25% nos seus vencimentos (CLT e imagem). Quanto aos meses de março e abril, diretoria, atletas e comissão técnica negociaram diretamente prazo maior para o pagamento dos vencimentos”, diz a nota.

Os jogadores estão de férias desde o início do mês por causa da paralisação de todos os campeonatos.

Veja abaixo a íntegra da nota oficial:

O Coritiba Foot Ball Club informa seus associados, torcedores e demais interessados sobre as medidas administrativas que foram tomadas envolvendo todo seu quadro funcional em função da pandemia do Covid-19.

Mesmo com o cenário de crise já no mês de março, o clube garantiu todos os salários até o mês de abril. No entanto, a extensão do isolamento social e todas as medidas relativas à suspensão das atividades e disputa dos campeonatos acarretaram em perda drástica de receita, referente à bilheteria, sócios, patrocinadores e direitos de transmissão. Além disso, é preciso planejar o retorno das atividades em uma realidade de reestruturação financeira.

Dessa maneira, a partir de maio, respaldados pela Medida Provisória 936, os funcionários do quadro administrativo que continuarão trabalhando, maioria destes na modalidade home office, terão redução de 25% nos seus vencimentos, tendo o restante do quadro administrativo o seu contrato de trabalho suspenso, com recebimento de 30%. Foram realizadas também algumas demissões.

O Departamento de Futebol também será gravemente afetado por todo esse cenário. Além de demissões, todo o quadro do futebol de base terá o contrato de trabalho suspenso, haja vista a indefinição sobre realização das competições. No profissional, demissões também foram realizadas e todos os funcionários remanescentes (comissão técnica e atletas) terão redução de 25% nos seus vencimentos (CLT e imagem). Quanto aos meses de março e abril, diretoria, atletas e comissão técnica negociaram diretamente prazo maior para o pagamento dos vencimentos.

O Coritiba aguarda posicionamento das autoridades competentes para retorno das atividades de treinamento e, posteriormente, das competições.

+ Mais do Coxa:

+ Dirceu Krüger é eleito pela torcida o maior jogador da história do Coritiba
+ Bolsonaro diz que chance de atleta pegar Covid-19 é infinitamente pequena
+ Veja os cinco gols mais bonitos do Campeonato Paranaense


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?