Demorou a passar. O time e a torcida precisaram ir dez vezes a Joinville, entre o 1.º turno e a 1.ª rodada do returno da Série B, mas a contagem regressiva acabou. Hoje, finalmente, o Coritiba retorna ao Couto Pereira.

Sem mais dívidas com a justiça desportiva, após os distúrbios que gereram a punição, em 6 de dezembro, o Alviverde deu um banho de loja no Alto da Glória para receber o maior público do ano no futebol paranaense.

A expectativa é de que o estádio recebe pelo menos 30 mil pagantes, superando os 25.038 pagantes de Coritiba 2 x 0 Atlético-PR, na penúltima rodada do estadual.

Para celebrar a volta ao Couto Pereira, o Coritiba entra em campo com uniforme novo e promete mais uma surpresa para quem estiver no estádio. Tudo isso para tentar arrancar de vez rumo à Série A no ano que vem. No time, Tcheco será a maior novidade da partida contra a Portuguesa, que começa às 15h50.

“Existe uma expectativa enorme de todas as pessoas envolvidas com o Coritiba quanto ao retorno. Existe uma expectativa muito grande nossa também de jogar diante do nosso torcedor, em um gramado excelente e nas dimensões de que a gente gosta”, projeta o técnico Ney Franco.

Ele é um dos mais entusiasmados com a possibilidade de voltar a usar o Alto da Glória. “Agradecemos esse apoio nesse momento turbulento que foi esses jogos em Joinville. É isso que é o futebol, sensibiliza a gente e espero fazer a nossa parte, jogar bem, conseguir resultados positivos e terminar o ano com a competência de estar no G4”, aponta.

Para tanto, é necessário passar pela Lusa. Mas o empurrão que a galera deve dar ao time é considerada uma força a mais na busca pela vitória. “Em Joinville tivemos o jogo contra o Sport com oito mil pessoas. No Couto esperamos trinta e poucas mil pessoas. Vai ser motivante sentir aquele friozinho na barriga. Não vemos a hora de chegar esse momento e colocar em prática o que trabalhamos”, destaca o zagueiro Cleiton.

O volante Andrade concorda. “Aquele lance do ano passado tem que ser apagado e agora temos que escrever uma nova história do torcedor. A torcida Coxa é alegre, faz festa. É essa imagem que queremos lembrar daqui pra frente”, avisa.

No time que vai tentar mudar essa imagem, e apagar o rebaixamento do ano passado, está o meio-campista Tcheco. Ídolo da torcida, ele voltou para ajudar a equipe a subir.

“A gente precisa corresponder dentro de campo. Todos sabem da responsabilidade. Não podemos cair na empolgação e vamos fazer por onde para conquistar os resultados dentro de casa”, avisa.

Além dele, Edson Bastos, Ângelo e Léo Gago são as outras mudanças na equipe. Para assumir a liderança da Série B, o Coritiba precisa vencer a Portuguesa e torcer para o Bahia tropeçar diante da Ponte Preta, em Campinas.