A derrota no clássico contra o Paraná Clube por 2×0, na noite de quarta-feira (7), na Vila Capanema, deixou o Coritiba em situação delicada na busca pela classificação à semifinal da Taça Caio Júnior do Campeonato Paranaense. O Verdão, campeão do primeiro turno e já garantido na final do Estadual, ligou o sinal de alerta, já que amargou a sua terceira derrota consecutiva na temporada.

LEIA MAIS: Jogando pra não perder, Coxa acabou sendo derrotado

Além de mais um resultado ruim colhido no centésimo clássico Paratiba da história, o Coritiba somou mais uma atuação irregular. O time comandado pelo técnico Sandro Forner alternou momentos bons e ruins dentro da partida, mas quase não assustou a meta defendida pelo goleiro Richard.

Os jogadores sabem que, para a sequência da temporada, vai ser preciso melhorar muito. O lateral-direito Marcos Moser, que puxou a fila dos destaques negativos do Coxa no clássico, espera que a equipe alviverde possa evoluir para a sequência do Campeonato Paranaense e da Copa do Brasil.

IMPERDÍVEL: Confira o especial da Tribuna sobre o Dia Internacional da Mulher

“A gente tinha que acertar mais passes, abrir mais o time deles. No final eles se fecharam demais. A gente precisava ter mais jogadores no ataque e acabamos tomando o gol no final. Agora é erguer a cabeça. Temos mais jogos pela frente, precisamos erguer a cabeça e nada está perdido. Felizmente ganhamos o primeiro turno, já temos a final garantida. Precisamos melhorar e sabemos disso. Agora é erguer a cabeça e trabalhar”, afirmou ele.

A reclamação da falta de presença ofensiva feita por Marcos Moser já é algo recorrente no Coritiba nesta temporada. Na sua maneira de atuar, o time coxa-branca entra primeiro pensando em se defender e sempre disposto a explorar os contra-ataques. No clássico contra o Paraná Clube, a equipe foi praticamente inoperante na frente e não impôs muitas dificuldades ao sistema defensivo do Tricolor.

Confira a tabela e a classificação do Campeonato Paranaense!

O zagueiro Thalisson Kelven lamentou o revés sofrido e comentou também sobre o lance confuso que se envolveu com Zezinho, onde o meia paranista acabou expulso.
“O Zezinho, quando a bola foi para o alto, olhou para mim e já levantou cotovelo. O juiz fez certo ao expulsá-lo”, afirmou. “Foi um resultado ruim. Tivemos chances para empate e não conseguimos. No final a gente abriu e acabamos sofrendo o segundo gol”, concluiu o camisa 3 do Coxa.