Conquistar pelo menos 16 pontos nos próximos 18 em disputa é, para muitos, uma missão quase impossível para o Coritiba nesta reta final da Série B do Campeonato Brasileiro para sonhar com o acesso à primeira divisão. O time coxa-branca sabe da dificuldade que terá pela frente e, por isso, se apega em números positivos de outras temporadas para manter viva a chance de voltar à elite em 2019. A arrancada que o Avaí teve em 2016 é um exemplo que o volante Simião se inspira para a reta decisiva do Alviverde na segunda divisão.

+ Leia também: Coxa teve péssimo desempenho no primeiro turno contra próximos adversários

“Eu costumo olhar as coisas pelo lado bom. Acho que têm equipes que não estão no momento que nós estamos, que queriam poder vencer os seis jogos e no final falar que subiu. Temos essa possibilidade. Eu olho para a história e recentemente eu vi o Avaí, em 2016, que tinha que ganhar 14 em 15 jogos, ganhou e subiu. Então porque o Coritiba não pode ganhar esses seis jogos e conseguir o acesso? Basta acreditar‘, lembrou Simião.

O Avaí, na verdade, fez um segundo turno invejável em 2016. O time catarinense terminou a primeira parte da Série B daquele ano na 14ª colocação com apenas 23 pontos. Logo na largada do returno, foi derrotado pelo Bahia por 3×0, em plena Ressacada, e a chance de cair para a terceira divisão passou a ser uma realidade para a equipe avaiana.

+ Mais na Tribuna: Rodada mantém Coritiba com poucas chances de acesso

No entanto, a diretoria demitiu o técnico Silas e contratou Claudinei Oliveira. Algo parecido com que a cúpula alviverde fez neste ano, quando demitiu Eduardo Baptista, deu uma chance para o auxiliar-técnico Tcheco, mas encontrou seu melhor momento somente agora, sob o comando de Argel Fucks, que está invicto há cinco rodadas.

Assim, a partir da 21ª rodada, o Avaí teve uma arrancada para conquistar o acesso à primeira divisão. Nos 18 jogos restantes, o time catarinense conseguiu impressionantes 13 vitórias, empatou quatro vezes e sofreu apenas uma derrota, totalizando aproveitamento de 79%. Algo bem próximo do que o Coritiba precisa fazer nessas seis rodadas restantes para continuar sonhando com o acesso.

+ História: Achada por acaso, relíquia do Coxa de 1927 para na mão de torcedores

Para Simião, o Coxa, se mantiver a pegada dos últimos jogos e o futebol competitivo que tem apresentado, pode conseguir emplacar uma arrancada na Série B. “Nos últimos cinco jogos estamos invictos. Temos que pensar nisso. Jogando desse jeito, vai ser difícil nos tirar a vitória. Vamos lutar, pode ter certeza. E para vencer a gente, vão ter que lutar o dobro”, reforçou o jogador.

+ Treta antiga: Cadeiras do Couto vão a leilão pra pagar dívida com Deivid

Na sua trajetória na segunda divisão, o Coxa oscilou demais. Encontrou dificuldades especialmente nas partidas fora de casa e a falta de um padrão de jogo e de encontrar o espírito e a pegada da competição foram determinantes para chegar nesta reta decisiva com tantas dificuldades.

Mas apesar de todos os problemas e todos os percalços, o Verdão mantém acesa a esperança de conseguir o acesso. A chegada de Argel renovou o ânimo do time, que, pelo menos, tem apresentado um futebol mais competitivo e capaz de brigar pelo retorno à elite do futebol brasileiro.

Confira a classificação completa da Série B

“Nunca é tarde quando se tem chance. Demorou um pouco para encaixarmos da forma que esperavam, mas aconteceu. Antes tarde do que nunca e agora temos que encarar dessa forma. O Argel trouxe algo que faltava para nós, que era confiança. Esses atletas têm história no futebol e em certos momentos a maioria esqueceu dessa história e que poderia fazer algo a mais. O Argel resgatou isso”, concluiu Simião.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!