Vivendo um período de instabilidade no Campeonato Brasileiro, o Coritiba parece estar um tanto quanto perdido fora das quatro linhas. Um dia depois de confirmar que a delegação ficaria, na semana que vem, concentrada em um hotel de Atibaia, no interior de São Paulo, o clube, em nota oficial, informou que não mais ficará concentrado devido a problemas com a lotação máxima do hotel.

Nesta quarta-feira (30), o Coritiba confirmou que ficaria em Atibaia de segunda-feira (4) a sexta-feira (8), na semana do clássico contra o Atlético. Seria uma forma do elenco coxa-branca fugir da pressão e da cobraa mais intensa do torcedor alviverde que, na noite anterior, havia pichado os muros do estádio Couto Pereira.

Em nota divulgada no seu site oficial, o Coritiba informou que o motivo principal da desistência seria o hotel lotado por conta do feriado de 7 de setembro. Essa intensa movimentação no local iria contra o objetivo da comissão técnica e diretoria do Coxa, que gostaria que a equipe pudesse trabalhar em um ambiente mais tranquilo.

Confira a classificação do Campeonato Brasileiro!

O Coritiba não informou ainda, no entanto, se a folga do final de semana do elenco alviverde está mantida. O time coxa-branca seria liberado no sábado (2) e domingo (3), e se reapresentaria na segunda-feira para embarcar para Atibaia. Assim, a semana que antecede o clássico Atletiba, terá o CT da Graciosa, o Couto Pereira e sem concentração para o grupo coxa-branca. Isso se nada mudar até lá.

Confira na íntegra a nota oficial divulgada pelo Coritiba

“O elenco do Coritiba irá manter a programação de treinos para a próxima semana, entre os dias 4 e 8 de setembro, na capital paranaense. Com isso, o grupo não viajará mais para Atibaia-SP, onde ficaria de segunda a sexta-feira para treinamento em sistema de concentração. A decisão foi tomada tendo em vista a logística de viagem e, principalmente, a lotação máxima prevista para o local durante o feriado, um dos principais destinos hoteleiros de São Paulo. Ainda que com condições excelentes para treinamento de times profissionais, a lotação máxima prevista não daria o ambiente ideal para as atividades”.