SELO_PARANAENSE_2018_WEBAtual campeão paranaense, o Coritiba entrará para a disputa do Estadual deste ano um pouco diferente. O Coxa, na verdade, vive um processo de reconstrução. Nos bastidores, a nova diretoria, agora liderada pelo presidente Samir Namur, tenta colocar a casa em ordem. Em campo, muitas mudanças. Parte do elenco que, no fim do ano passado, rebaixou o clube à segunda divisão foi embora. Alguns jogadores retornaram de empréstimo, mas a aposta mesmo do Alviverde é nos atletas experientes que ficaram e nos que se destacaram na base e agora estão subindo para compor o time principal.

Esses jogadores deverão ter mais oportunidades durante a disputa do Campeonato Paranaense. Será uma espécie de vestibular para esses garotos, visando a continuidade da temporada, sobretudo para a disputa da Série B, que é o grande objetivo em 2018. Até por isso, a diretoria do Coxa contratou apenas dois reforços, para que justamente esses garotos tenham oportunidades durante o Estadual.

Chegaram o lateral-direito Benítez, que já passou pelo clube em 2016, e o volante Simião, de 30 anos, que disputou o Brasileirão do ano passado pelo Avaí e acabou rebaixado com o time catarinense. Foram reforços pontuais contratados pela diretoria, que, com relação a dezembro de 2017, reduziu 60% a folha salarial do clube.

A grande aposta do Coritiba, além da confiança depositada nos jogadores que estão subindo da base, é também na experiência daqueles que permaneceram no clube. Casos específicos do goleiro Wilson, do lateral William Matheus, do zagueiro Werley e do atacante Kléber. Todos eles darão a sustentação necessária ao time coxa-branca e, sobretudo, a confiança aos mais jovens durante a disputa do Estadual.

Depois das últimas temporadas, Wilson e Kléber são as grandes esperanças da torcida. Os dois receberam sondagens e até propostas de outros clubes, mas decidiram ficar para ajudar o Coxa neste processo de reconstrução.

Apostando nessa mescla, o Coritiba confia também em uma comissão técnica formada por profissionais identificados com o clube. O técnico será Sandro Forner, que está no Verdão há alguns anos e estava no time sub-20. Ele terá como auxiliar o ex-jogador Tcheco, ídolo alviverde, além do gerente de futebol Pereira, que foi zagueiro do Coxa no final da última década e será o elo de ligação entre elenco e comissão técnica junto à diretoria.

Até por ser um dos grandes clubes do Estado, o Coritiba entrará para a disputa do Campeonato Paranaense para buscar o bicampeonato. No entanto, o objetivo principal nesse primeiro trimestre é se preparar da melhor forma possível para a Série B do Campeonato Brasileiro.

“Acho que a torcida não está preocupada em título paranaense, vou ser bem sincero. O grande objetivo mesmo é voltar à Série A. Não adianta ganhar o Paranaense, mas chegar no Brasileiro e não subir. Temos que valorizar o Paranaense, mas o grande objetivo no ano é a Série B. A gente vai jogar para vencer, com todas as nossas forças”, apontou o zagueiro Werley.

No meio do caminho, o Alviverde terá ainda a Copa do Brasil pela frente. Além de ser a segunda principal competição do futebol brasileiro, o torneio pode render um bom dinheiro aos cofres do clube caso avance para as próximas etapas. Assim, em um primeiro momento, o Coritiba deverá também priorizar a competição nacional durante a disputa do Estadual.