O Coritiba, agora, tenta impedir que a reta final do Campeonato Brasileiro seja melancólica. A luta contra o rebaixamento passa a mover o clube, mas a matemática exige que o Coxa tenha um rendimento bem superior ao atual. Dos 42 pontos que disputou nas 14 rodadas recentes, o time conquistou somente 8 (19% de aproveitamento). No returno, foram 3 pontos de 21 em disputa, com inexpressivo 14,2% de rendimento. Para não deixar a elite do futebol brasileiro em 2014, o Alviverde precisa de, no mínimo, mais 15 pontos, ou seja, precisa elevar o aproveitamento para 41,6%.

Atualmente, o Coritiba tem a pior campanha no returno e forma, ao lado do Criciúma, a dupla de clubes que ainda não venceu nesta etapa do Campeonato Brasileiro. A última vez que deixou o campo com três pontos, aliás, foi rigorosamente há 30 dias. Dia 8 de setembro, pela última rodada do primeiro turno, o Coritiba bateu o São Paulo por 2 x 0, no Couto Pereira. De lá pra cá, a equipe segue contabilizando fracassos, mas a derrota no Atletiba complicou de vez a situação alviverde.

Na 15.ª posição, com 31 pontos, o Coxa está a dois pontos do Vasco – o primeiro a ocupar a zona de rebaixamento. Desde que não reaja contra o Santos, amanhã, às 19h30, no Couto Pereira, o ingresso na ZR pode ser inevitável. O volante Gil define como vergonhoso o atual momento do time, e é sincero em afirmar que somente os jogadores podem tirar o clube da atual situação. ‘A gente não pode deixar o Coxa nessa situação, é vergonhoso. Só que a gente tem que erguer a cabeça, pois quarta-feira (amanhã) tem mais. Não tem como ficar dando desculpinhas. É mais na conversa, e pensar em jogo a jogo como se fosse uma final. Os culpados do Coxa estar nessa situação somos nós jogadores. E só dentro de campo que a gente vai poder reverter isso’, desabafou.