O Coritiba iniciou, na vitória por 1×0 sobre o CRB, anteontem, no Couto Pereira, uma maratona de três partidas em apenas uma semana na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Momento importante em que o time coxa-branca conseguiu voltar ao G4 da segunda divisão, subiu para a 3ª colocação e tem a condição agora de jogar de maneira mais competitiva para conseguir a primeira vitória fora de casa nos duelos contra o Avaí, amanhã, e Juventude, na terça-feira. Isto porque o técnico Eduardo Baptista tem praticamente todo o elenco a sua disposição para esses duelos importantes pela competição nacional.

O treinador alviverde ainda busca o time ideal. No entanto, com os retornos que teve nas últimas partidas, como dos volantes Vitor Carvalho e Vinicius Kiss, do lateral-esquerdo William Matheus e do meia-atacante Chiquinho, Eduardo Baptista conseguiu criar uma espinha dorsal no time coxa-branca para a sequência da Série B.

“Quando você fala em time ideal não é um número, os onze. É quando se tem uma espinha dorsal. Com a saída principalmente do Vitor Carvalho quebrou isso um pouco. Vejo uma espinha dorsal que vai do goleiro, da zaga, passa pelo meio de campo, pela criação e chega até o 9. A espinha dorsal não são 11 jogadores, mas sim sete ou oito. A gente está caminhando, conseguindo isso. Alguns jogadores, pelo ritmo, ficaram um pouco abaixo, mas a gente esperava. Eles precisam jogar para pegar ritmo para que, com o grupo todo, a gente possa mexer, variar e criar situações dentro de casa jogo, para que seja o time ideal para aquele jogo”, explicou o técnico Eduardo Baptista.

Ainda na busca por essa equipe, o treinador procura também aliar vitórias com boas atuações. Diante do CRB, time que está na zona de rebaixamento, o Coritiba jogou para o gasto, venceu por 1×0 e passou poucos sustos. No entanto, os três pontos foram importantes para o Coxa voltar para o G4 e para encarar a sequência de duas partidas longe de casa.

“Se não foi um primor técnico, um futebol vistoso, os três pontos foram importantes. Temos agora dois jogos fora. Sabia que teria rodada cheia e que a vitória nos colocaria no G4. Isso é fundamental. A vitória é importante e amanhã ninguém lembra que não jogamos tão bem, vão olhar a tabela e vão ver. Mas claro que a gente busca a evolução”, emendou.

Confira a tabela e a classificação da Série B!

Essa evolução cobrada pelo treinador pode ser determinante na busca da primeira vitória como visitante na Série B deste ano, sobretudo no duelo de amanhã, diante do Avaí, já que a equipe catarinense tem dois pontos a menos e aparece na quarta posição da tabela. Momento ideal para o Verdão, enfim, voltar para casa com os três pontos na bagagem.

“É uma situação que incomoda a gente. Estamos felizes pelos 100% (em casa), mas a gente busca um melhor resultado fora. Não só eu, mas os atletas também querem uma performance fora de casa. Temos um confronto direto, de seis pontos, onde é importante pontuar. Não tem melhor momento. O próximo jogo é o melhor momento. Os jogadores estão incomodados com isso e vamos trabalhar para que isso acontença, que a gente mostre um bom futebol e conquiste o resultado que tanto quer”, concluiu o comandante alviverde.