Para o Coritiba, agora é “tudo ou nada”. Isso porque, caso não vença o Paysandu, no próximo sábado (27), em Belém, pode dar adeus ao sonho do acesso à Série A. Com 45 pontos, o Alviverde é o décimo colocado na Série B e está a seis do CSA, o quarto na tabela. Faltam apenas seis rodadas para o fim do Brasileirão e vencer é uma questão de prioridade. “Contra o Paysandu vai ser uma grande final. É o jogo mais importante do ano”, disse o lateral-esquerdo Abner.

O jogador admite que a falta de regularidade do Coxa na competição prejudicou o bom desempenho da equipe na competição. “A gente oscilou muito no campeonato, o que fez que a gente chegasse nessa situação. Agora são seis jogos muito decisivos, mas estamos muito concentrados, muito bem preparados. Sabemos da dificuldade que teremos agora. O erro é zero”, enfatizou Abner.

+ Leia mais: Coritiba encara o duelo com o Paysandu como uma decisão

O Coritiba vem de dois empates, sendo o último com o CSA, em casa, por 1×1. A equipe foi vista, a princípio, como umas das fortes na temporada, mas sobretudo pelos fracos resultados longe do Couto Pereira, foi vendo o topo da tabela sempre pelo lado de fora. Em apenas três rodadas o Verdão esteve no G4. Abner nega que o elenco tenha subestimado a disputa da Segundona.

“A gente não pensava que ia ser fácil. Sempre soubemos que tinham muitas equipes qualificadas na disputa e que estão acostumados com jogo de Série B, fazendo aquele jogo com mais marcação, mais truncado”, explicou o lateral, que tem consciência de que uma possível derrota para o Papão vai causar um grande “estrago”. “Não vou ser hipócrita. A gente sabe que se não vencer as coisas vão ficar muito mais difíceis”, detalhou.

+ Confira a tabela e a classificação da Série B!

Em caso de derrota, o Coxa não terá mais chances matemáticas para o acesso dependendo de seus próprios resultados, mas ainda pode esperar um milagre e contar que sua sorte mude com outros resultados. Os próximos adversários do Alviverde serão, sucessivamente, Paysandu, Guarani, São Bento, Goiás, Ponte Preta e Fortaleza.

Ainda que os seis próximos jogos sejam vistos como grandes finais, Abner explicou que não há um plano definido a longo prazo. “A estratégia está sendo montada para o jogo do Paysandu, depois vai ser montada para os outros jogos”, contou.

Se depender da vontade de Abner, o Coxa ainda manterá viva a esperança do acesso. “É o desafio mais importante da minha carreira dar esse acesso ao Coritiba. Eu quis voltar ao clube para fazer essa história e fazer o time voltar à Série A. tenho um respeito e um carinho muito grande por tudo que o Coritiba já fez por mim”, finalizou.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!