Depois de perder a decisão do Campeonato Paranaense para o Atlético, o futuro do Coritiba não é nada otimista. O resultado só comprovou a fragilidade do elenco alviverde. Recheado de jogadores jovens, revelados nas categorias de base, o Coxa até deu alguma esperança de que poderia impressionar ao conquistar o título da Taça Dionísio Filho, o primeiro turno do campeonato. Mas foi apenas fogo de palha. Tanto que no segundo turno, o Coritiba foi o saco de pancadas e acabou na lanterna do Grupo A.

Como já estava garantido na decisão, é até compreensível que o Coxa relaxasse no segundo turno, mas foi pior. A ineficiência demonstrada na Taça Caio Júnior se refletiu na grande final. Com um futebol acovardado, o time do técnico Sandro Forner até venceu a primeira partida, contando com uma boa dose de sorte e com uma atuação salvadora do goleiro Wilson, um dos poucos que se salvaram.

No primeiro tempo, o time praticamente não levou nenhum perigo ao goleiro Caio. Enquanto que Wilson se desdobrava para evitar o gol rubro-negro, mas no último minuto antes do intervalo, Bruno Guimarães abriu o placar na Arena. O time de Sandro Forner foi para os vestiário de cabeça baixa, tentando encontrar alguma força para pelo menos segurar o 1×0 e levar a decisão para os pênaltis.

Mas, o artilheiro Ederson acabou com qualquer possibilidade alviverde ao marcar o segundo gol do Atlético logo no começo do segundo tempo. Aí foi questão de esperar o tempo passar, tocar a bola e deixar o Coxa se apequenar ainda mais. O 1×0 no Couto Pereira deu um fio de esperança para o torcedor, mas na partida decisiva na Arena da Baixada, mais uma vez, o Coxa se encolheu diante do rival. Sem demonstrar ambição pelo título, o Coxa foi engolido pelo Furacão de forma vergonhosa.

Só que a temporada está apenas começando. O principal objetivo do Coritiba no ano é a Série B. E, pelo que o Coxa demonstrou até agora, vai ser de muito sofrimento. De nada adiantou revelar jogadores como o zagueiro Thalisson Kelven e o meia Julio Rusch, dois dos jovens que se destacaram. O momento do Coxa é de reestruturação e revisão. A diretoria precisa rever o planejamento, e não se contentar apenas com os reforços que já chegaram, porque a Série B começa já no próximo sábado (14).