O Coritiba pode ter um candidato ‘novato’ na eleição do final do ano. Ativo na política interna do clube, mas sem ter aparecido como presidenciável, o empresário Giovanni Kassin, de 35 anos e dono do restaurante Di Frango, admite querer entrar no processo sucessório de Rogério Portugal Bacellar, que já decidiu que não será candidato à reeleição. É um dos poucos conselheiros do Coxa que fala em candidatura, num período em que muitos falam, mas poucos se apresentam como opções.

Até agora, surgiram mais grupos do que potenciais candidatos. Há a turma da ‘velha guarda’, que tem como voz mais ativa o ex-presidente João Jacob Mehl. Há também o grupo ligado a outro ex-mandatário, Vilson Ribeiro de Andrade, este bastante forte nas redes sociais. Há o grupo dos “’Indomáveis’, que chegou a estar no poder no início da gestão Bacellar, mas deixou o clube depois do escândalo do WhatsApp. Há a Ala Jovem, que vai ter candidato mas não fala sobre o assunto. E há o grupo que comanda o Cori, que também terá representante na eleição.

Alguns ‘cabos eleitorais’ de maior força, entretanto, estão por enquanto preferindo o silêncio. Vilson Ribeiro de Andrade, cotado até para ser candidato, já mandou avisar que está fora da parada, e que não entra mais na política do Coritiba. Outro que só quer votar e mais nada é Giovani Gionédis, que recusou inclusive ver seu nome ligado à velha guarda.

O último que se afastou das movimentações políticas foi Alex. Hoje comentarista, o ex-jogador disse que não vai se meter na eleição do Coxa desta vez. Ele foi o fiel da balança na vitória de Rogério Bacellar, mas se afastou do atual comando quando João Paulo Medina e Ricardo Guerra deixaram o clube, ainda no começo do mandato do atual presidente. Mais tarde, Alex também rompeu com Ricardo Guerra, e seu nome chegou a ser ligado a uma articulação para o lançamento do empresário e político Marcelo Almeida como candidato à presidência alviverde. O Menino de Ouro garante que não tem nada disso.

Em meio a tantas negativas, surge Giovanni Kassin, representando um grupo de conselheiros. Mesmo sem dar entrevistas, é o único que admite em conversas que será candidato. Ao lado dele estão tanto jovens como veteranos de clube, como Dante Millarch, que esteve em diretorias recentes do Coritiba, e um dos decanos do Coxa, Denísio Belotti, 95 anos.

“O Kassin é um empresário jovem, talentoso e honesto. Nós confiamos muito em seu potencial. Temos muitos conselheiros que estão não estão contentes e que querem se juntar a nós. E queremos tornar público para os sócios que votam que temos pessoas competentes”, disse Belotti.

Com ele, são dois candidatos anunciados à presidência do Coritiba – o outro é o médico e ex-vice João Carlos Vialle, ligado à velha guarda. Além deles, pelo menos mais dois postulantes devem surgir, um de situação e outro da Ala Jovem. Mas há possibilidade de até seis candidatos, o que faria da eleição de dezembro a maior da história do Coxa.