Dois jogos, a mesma formação no Coritiba e o técnico Ivo Wortmann comemora o “encaixe” que os jogadores estão conseguindo. Foi assim contra Toledo e Cascavel e a tendência é que os mesmos 11 voltem a campo na quarta-feira contra o Holanda/AM pela Copa do Brasil. Seria um prenúncio de que o Alviverde começa a ganhar uma cara efetiva para a temporada? Para o treinador, sim. No entanto, ele mesmo adverte para que alguns erros sejam corrigidos na sequência porque, apesar das vitórias, algumas situações de jogo preocupam, como o posicionamento da defesa nas saídas de bola.

“Mantive a equipe porque eu acho que as peças encaixaram. O Pedro e o Paraíba dão muita qualidade. Eu não gosto de volante que desarma e entrega para o adversário. Eu joguei no meio e sei. Jogador do meio tem que ter qualidade, tem que ser inteligente”, destaca Ivo. Os maiores elogios são justamente para os jogadores que voltaram a mostrar um grande futebol e que estão jogando para a equipe.

“Eles marcam, desarmam e partem com a bola e são agressivos. Lembro do dia que nós treinamos, eu defini o time e um olhou para o outro e se abraçaram porque eu acho que eles estavam esperando a chance de jogar junto”, relembra. Segundo o meia Pedro Ken, a evolução da equipe é visível.

“Se pegarem os nossos primeiros jogos e pegaram esses dois últimos já tem uma evolução muito grande. A gente vinha falando no começo: tem que entrosar a equipe, tem que acertar a parte tática porque aos poucos a equipe vai evoluindo e individualmente também a gente vai voltar a pegar ritmo e vai se encaixando”, analisa Pedro. Paraíba concorda.

“Devagarinho, a gente vai recuperando a confiança, a tranquilidade e quem quer vencer tem que correr mesmo, um pelo outro e dar a vida aqui. Se a gente mantiver a cabeça no lugar vamos chegar longe”, projeta o companheiro.

No entanto, o gol tomado no último minuto contra o Toledo e as desatenções contra o Cascavel precisam ser corrigidas na visão de Ivo. “Algumas situações de perigo a gente mesmo proporcionou como essas bolas jogadinhas para trás. Futebol tem que ser para frente, jogar o máximo possível no campo do adversário, mas são coisas que tem que acontecer agora para a gente trabalhar em cima disso e corrigir e que as coisas não se repitam”, diz o treinador.

Mesmo assim, ele acredita que as vitórias estão trazendo a tranquilidade necessária para um time que vive em constante pressão. “Em se tratando de Coritiba a gente tem que ganhar e convencer. Tu não vai conseguir o tempo todo ser brilhante, mas o importante dentro dessa trajetória é a regularidade”, avalia.

Para ele, daqui para frente o time não tem outro resultado a buscar tanto no Estadual quanto na competição nacional. “Conviver com a vitória sempre porque não tem
meio termo, é vencer ou vencer e é exatamente isso que a gente está procurando fazer”, finaliza Ivo.