Frustrado com a campanha apenas razoável e ainda com o pensamento em voos maiores, o Coritiba dá a largada no segundo turno em busca dos “pontos perdidos” no primeiro turno.

O Alviverde acredita que tinha potencial para subir mais na tabela e projeta ao menos mais 37 pontos na reta final do Campeonato Brasileiro para entrar no G4 e se garantir na Copa Libertadores do ano que vem.

Para isso, tenta quebrar a série de vitórias do Dragão e devolver a derrota sofrida no Couto Pereira. O confronto começa às 20h30 no Serra Dourada e Pereira e Leandro Donizete são as novidades.

Na contabilidade do Coxa, com 63 pontos dá para sonhar com o principal torneio continental porque na temporada passada o Grêmio se classificou com essa pontuação.

Este ano, pelo aproveitamento até aqui, seriam necessários 69 pontos, mas as edições anteriores da competição mostraram que a reta final costuma deixar a disputa mais equilibrada e esses patamares acabam caindo e o quarto colocado acaba fazendo menos pontos.

Mesmo assim, para chegar lá, o Coritiba terá que fazer uma campanha de líder, pois foi exatamente essa a pontuação alcançada pelo Corinthians no primeiro turno.

Independente disso e acreditando nas próprias forças, o Alviverde encara o Atlético-GO tentando os primeiros pontos dessa caminhada. “É como se estivéssemos começando um novo campeonato. Nós precisamos fazer melhor do que fizemos no primeiro turno, embora seja um turno corrido, mas apenas pelo aspecto psicológico, você começar bem e fazer uma pontuação acima daquela que fizemos”, projeta o técnico Marcelo Oliveira.

Para ele, o time desperdiçou pontos demais até aqui. “Nós fizemos 26 pontos e lamentamos aí dez pontos que estavam muito seguros e nós deixamos escapar”, lamenta.

E para que isso não se repita, o treinador diz o que é preciso fazer. “A gente precisa fazer mais gol de bola parada porque nesse turno não fizemos, ser mais decisivo na hora em que criamos uma jogada porque somos o segundo melhor ataque, mas também desperdiçamos outras oportunidades e precisamos definir o jogo na hora certa”, aponta.

Como exemplo, ele citou a superioridade em cima do rival Rubro-Negro no sábado, mas que não resultou em gol e o time acabou sendo castigado com o empate. “Temos que ter a consciência que o Coritiba tem um grupo forte, que gosta de trabalhar e já fez grandes partidas nesse turno”, finaliza.

No time, Marcelo não poderá contar com o zagueiro Jéci e o meia Tcheco, suspensos, mas em compensação ele conta com os retornos de Leandro Donizete e Jonas, que estavam suspensos, além de poder usar Pereira na zaga. O atacante Leonardo, com dores no ombro direito, fica em tratamento no CT da Graciosa.