Após 56 dias, o Coritiba volta ao Couto Pereira. Nesta nova etapa do Brasileirão, o Verdão tem como objetivo transformar seu estádio no ‘porto seguro’ de outros tempos. Na atual temporada, o clube fracassou jogando em casa. Foi assim no Paranaense – eliminado nas semifinais pelo modesto Maringá – e no início da Série A, onde computou dois empates (Santos e Internacional) e uma derrota (Sport). Amanhã, às 19h30, o confronto com o Figueirense, até por conta desse histórico recente, é encarado como decisão.

O técnico Celso Roth encara esse quadro com responsabilidade e naturalidade. ‘Nossa reação não pode ser adiada. Trata-se de confronto direto e nós não temos mais margem de erro’, avisou o treinador, apostando suas fichas na reformulação do grupo e no trabalho desenvolvido ao longo dos trinta dias de intertemporada. Uma vitória, frente ao lanterna da competição, deve significar a fuga imediata da zona do rebaixamento. Com sete pontos, o Coritiba está a apenas um ponto de Bahia, Chapecoense e Criciúma. Nesta rodada, Bahia e Criciúma jogam em casa, contra São Paulo e Fluminense. Já a Chapecoense teve seu jogo contra o Atlético Mineiro ficou para o dia 6 de agosto.

Além da questão matemática, há o aspecto emocional que envolve este jogo. A parada para a Copa do Mundo ocorreu exatamente quando o Coxa emplacou a sua primeira vitória (3×0 sobre o Goiás, na Vila Capanema) e em todas as entrevistas jogadores e integrantes da comissão técnica lamentaram este fato. ‘Quebrou aquilo que poderia ser uma arrancada pra gente. Por isso, temos que começar bem, para recomeçar mostrando que temos força para sair dessa situação incômoda’, comentou o zagueiro Leandro Almeida, que reassume a posição de titular. Após lesionar-se frente ao Atlético (em Maringá), ele ficou de fora dos jogos contra Criciúma e Goiás.

Só no primeiro turno, serão mais cinco jogos no Alto da Glória. Além de Figueirense, o Coritiba recebe Corinthians, Flamengo, Vitória e Atlético-MG. ‘Vamos pensar jogo a jogo. Nós já tivemos muitos deslizes e agora é preciso encontrar um ponto de equilíbrio. Uma largada com vitória é fundamental para a gente ganhar confiança’, destacou o volante Germano, que vai, nas palavras do próprio Celso Roth, ‘se segurando’ entre os titulares. Apesar de toda a concorrência – como Gil e Hélder – a tendência é que Germano seja mantido no meio-campo, repetindo com Baraka a dupla de volantes que atuou frente ao Goiás.

Vencer o Figueirense daria, ainda, um fôlego a mais para o clube. Afinal, a sequência da tabela indica dois jogos seguidos fora de casa. No sábado, o Verdão enfrenta o Botafogo, em Volta Redonda, e na semana que vem o jogo é em Porto Alegre, frente ao Grêmio. A tendência é que amanhã o time tenha apenas uma estreia: a do meia-atacante Elber, formando o setor ofensivo com Keirrison.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook