O assédio que o Coritiba está sofrendo neste final de temporada por alguns de seus jogadores é considerado normal pelo técnico Marcelo Oliveira. De acordo com ele, isso é fruto do sucesso que o Alviverde alcançou na temporada. “É inevitável, pela campanha e por tudo o que o Coritiba fez, pela ascensão e crescimento de atletas. Naturalmente, alguns assédios vão ter e a diretoria está consciente disso e preparada para tentar manter [os atletas]”, analisa o treinador. No entanto, alguns deles devem sair, como o lateral-direito Jonas, que tem proposta do Palmeiras.

Outros atletas também são alvos, como o lateral-esquerdo Lucas Mendes – sondado pelo futebol alemão -, o atacante Marcos Aurélio, que interessa a Cruzeiro e Internacional, além dos sempre citados em especulações de outros clubes, como o zagueiro Emerson (na mira do São Paulo) e o meio-campo Rafinha (futebol internacional). Mesmo assim, Marcelo confia na manutenção da base. “Os contratos existem com mais tempo e como técnico eu espero que não saia ninguém. Pelo contrário, que possa agregar algo mais e trazer alguns jogadores que possam nos ajudar”, aponta.

Para agregar, o comandante da equipe pode ganhar o meio-campo Lincoln, do Avaí, que já estaria acertado com o Coxa por um período de três anos. Ele viria como parte do pagamento por Jonas pelo Palmeiras, clube que detém os direitos. “O Lincoln foi jogador do Atlético-MG. Conheço bem e é bom jogador, mas não sei se é possível trazer”, elogia Marcelo. O Coritiba ainda deve trazer o volante Júnior Urso, também do Avaí.