Nesta o Coritiba se deu bem. O clube teve uma decisão a seu favor no “caso Deivid”, o pedido do ex-jogador de pagamento de direitos trabalhistas atrasados, que estariam veiculados ao direito de imagem, além de outros débitos pendentes. A vitória alviverde foi no Tribunal Superior do Trabalho (TST), o que para o departamento jurídico significa o fim do caso, que poderia custar R$ 20 milhões pro Coxa, em valores atualizados.

Deivid atuou no Coxa entre 2012 e 2014, último clube antes de se aposentar e tornar-se auxiliar-técnico e treinador. Nos últimos anos esse processo se arrastou pela justiça trabalhista e civil. Em uma das decisões, em setembro de 2014, o clube chegou a ser condenado a pagar R$ 11,9 milhões, mas o Coxa conseguiu reverter na instância superior.

Segundo o clube, agora não há mais possibilidade de recurso com a publicação da decisão, sendo possível no máximo recursos que prorrogam a disputa judicial. O fato é que o tribunal não acatou o argumento principal de que direito de imagem seria salário e com isso estaria veiculado a direitos trabalhistas. O Coxa estuda agora se entrará na justiça contra o ex-jogador alegando abandono de trabalho.

Já a advogada de Deivid, Gislaine Nunes, garantiu que ainda lutará no próprio TST para mostrar que foi um equívoco a sentença, mas que não poderia contar publicamente ainda qual foi o equívoco para não prejudicar a sua defesa. “Isso está longe de acabar”, promete.