Dominar a partida, ter oportunidades para vencer e deixar o rival levar um ponto de sua própria casa deixou os jogadores do Coritiba frustrados na saída de jogo ontem no Couto Pereira.

“Procuramos o gol em todos os momentos. Criamos algumas oportunidades, tivemos uma dinâmica boa, posse de bola. Conseguimos fazer a pressão lá na frente, mas não conseguimos fazer o segundo gol, que nos daria tranquilidade”, avaliou o zagueiro Jéci.

Para o volante Willian, o time só precisava ter acertado uma das chances que teve para matar a partida. “Tivemos algumas oportunidades a mais e poderíamos ter feito o gol e o gol deles foi uma indefinição, a bola acabou pingando ali e dificultando para o Edson Bastos”, ponderou.

No entanto, a indefinição do gol tomado deixou todos mais chateados ainda. “A bola acabou entrando praticamente direto, uma bola que caiu ali no bolo e entrou direto”, lamentou.

Já o lateral-esquerdo Lucas Mendes acredita em falha coletiva. “Não tem nenhum culpado, a gente sabe que clássico é decidido em detalhes e temos que erguer a cabeça porque quarta-feira já temos outro jogo”, disse.

Mas o técnico Marcelo Oliveira deverá cobrar bastante os jogadores pela bobeira defensiva e pela soberba ofensiva. “Estávamos absolutos no jogo e demos a oportunidade daquela bolinha que precisava o Atlético, que era o contra-ataque ou a bola parada. Houve o equívoco e mais uma vez a gente tem que lamentar, exaltar o bom trabalho feito, mas é preciso ter mais decisão”, apontou o treinador.

O atacante Marcos Aurélio admite as falhas. “Acho que faltou um pouquinho de tranquilidade ali na frente, mas agora é ter paciência e treinar, trabalhar”, finalizou. o avante.