As duas vitórias seguidas conquistadas contra São Bento e Vila Nova, no Couto Pereira, mudaram o status do Coritiba na Série B do Campeonato Brasileiro. Antes um mero coadjuvante e no meio da tabela, com os seis pontos conquistados nas duas últimas rodadas, o time se reaproximou do G4 da segunda divisão e amenizou um pouco a crise que rondava o Alto da Glória nos últimos tempos. Aliviou, também, a pressão sobre o técnico Umberto Louzer, que teve seu cargo ameaçado, mas ganhou sobrevida depois dos últimos dois jogos.

+ Leia mais: Mascote do Coxa provoca Athletico e viraliza

Mais do que subir na classificação, o Coritiba teve, enfim, um jogo tranquilo na vitória por 2×0 diante do Vila Nova. Algo que tinha sido visto apenas na primeira rodada, quando bateu a Ponte Preta pelo mesmo placar, com uma atuação segura. Com mais três pontos somados, o time, na verdade, conseguiu vencer e convencer. Deu prova ao sempre desconfiado torcedor alviverde que pode, sim, lutar pelo acesso à primeira divisão.

+ Veja ainda: Depois de vitória, Coxa já passa a mirar no G4

“Fico feliz com a vitória. Uma vitória que era muito importante para quebrar alguns tabus. Vencemos pela primeira vez duas vezes (seguidas). Conseguimos fazer um jogo sem tomar gols, que isso estava incomodando. Trabalhamos bastante para neutralizar as ações do adversário”, avaliou o treinador alviverde.

+ Também na Tribuna: Coxa faz as pazes com a torcida e vê pressão diminuir

Há duas rodadas, quando perdeu de virada para o Criciúma com um gol sofrido no último lance da partida e com uma péssima atuação, Louzer balançou no cargo. Teve, então, sua última chance diante do São Bento. O desempenho não foi bom, mas a vitória por 2×1 impediu uma demissão que poderia, inclusive, atingir mais membros do departamento de futebol do Coritiba.

Se o Coritiba mudou seu status na Série B, o técnico Umberto Louzer também terá um pouco mais de tranquilidade para a sequência da segunda divisão. Mas o treinador afirmou que a pressão que tem consigo mesmo ainda é grande e só vai cessar quando colocar o Coxa na elite do futebol nacional de 2020.

+ Leia também: Ex-Coritiba, Miranda volta ao Alto da Glória

“A gente sempre trabalha com a convicção. A calmaria nunca vem e a minha pressão é a maior em cima de mim mesmo. É continuar trabalhando e me ocupando para que o Coritiba consiga os resultados. Só vou ter tranquilidade e relaxar quando chegar ao objetivo desse clube, que é chegar na primeira divisão”, reforçou.

O duelo contra o Criciúma, na verdade, que quase culminou na demissão do treinador, pode ter sido o pontapé inicial para uma arrancada do Coritiba na Série B. O sentimento de indignação dos jogadores foi transformado em atitudes e a equipe alviverde tem construído, nos dois últimos jogos, um novo rumo na segunda divisão.

+ Confira a classificação completa da Série B

“A Série B te exige competir o jogo. Em muitos momentos do jogo, os resultados vão vir com esse espírito. Sempre falei para eles que potencial e qualidade técnica essa equipe tem. Tivemos uma reunião após o Criciúma e fiquei contente com a indignação e insatisfação deles. E não ficou somente no discurso e provamos isso contra o São Bento e contra o Vila Nova”, finalizou Louzer.

Sem tempo para comemorar a sequência de vitórias, o Coritiba já volta a jogar amanhã, diante do Operário, às 19h15, em Ponta Grossa, clássico regional que pode colocar o Coxa de novo no G4. Isso só aconteceu na primeira rodada, quando venceu a Ponte Preta por 2×0. A diferença para o Londrina, quarto colocado, é de apenas dois pontos.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre nossa regiãofutebolentretenimento horóscopo, além de blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!