O Coritiba entrou em campo contra o PSTC, no último sábado (23), pela volta das semifinais do Campeonato Paranaense com o freio de mão puxado. Em uma partida com um ritmo lento, principalmente no primeiro tempo, a confirmação da vaga na decisão veio com uma vitória por 2×0 meramente burocrática.

Com a boa vantagem de 3×0 conquistada no primeiro confronto, em Cornélio Procópio, o Coxa evitou se arriscar e não impôs seu ritmo. Pelo contrário. Na primeira etapa, a atuação foi muito abaixo daquelas apresentadas dentro desta sequência de sete vitórias consecutivas. O Alviverde quase não ameaçou o goleiro Lucas. Tirando uma bola ou outra, o atacante Kléber foi pouco acionado. O PSTC, embora mostrasse muita disposição, também não conseguia superar a defesa alviverde.

Praticamente com os dois pés na final, o Coritiba jogava com o regulamento embaixo do braço e não forçava as jogadas. As entradas de Vinícius e Thiago Lopes, nos lugares de Juan e Dudu, lesionados, também dificultaram o bom futebol coxa-branca, que sentia falta dos seus armadores. Somente no segundo tempo é que a situação mudou, quando o Coxa voltou mais agressivo.

“A equipe está de parabéns, mas tinhamos que jogar pela classificação. O PSTC é uma equipe perigosa, prende bem a bola e vimos no começo do jogo que eles fecharam as linhas e queriam uma aproximação pelos lados. No primeiro tempo tivemos dificuldades de infiltração e quem vinha buscar a bola era o Kléber. Depois corrigimos isso e os zagueiros deles não acompanhavam. Apertamos a saída de bola e forçamos a ligação direta”, analisou o técnico Gilson Kleina.

Em 20 minutos, O Coritiba resolveu a situação e conquistou mais uma vitória. Aos 13, Vinícius cruzou pela esquerda e Kléber, sozinho na área, cabeceou para o fundo das redes. Logo depois, aos 19, Carlinhos, em cobrança de falta, levantou a bola na área, Juninho desviou de cabeça e Luccas Claro, mesmo caído, conseguiu chutar para marcar.

Assim que o árbitro apitou o final da partida, o foco do Coxa já passou a ser a final. Agora, todos dentro do clube querem transformar esta boa campanha em um título, que não vem desde 2013. “Nos últimos dois anos o Coritiba deixou escapar e agora temos que fazer de tudo para conquistar este título, trazer o orgulho para o torcedor novamente e termos um ano mais tranquilo”, disse o lateral-direito Ceará.

De joelhos! Veja a opinião de Mafuz sobre o futebol paranaense!