A reta final do Campeonato Paranaense e, sobretudo a decisão do Estadual, nas duas partidas contra o Atlético, escancararam a necessidade de reforços que o Coritiba precisa para o setor de criação para a sequência da temporada. A saída do meia Juan após o primeiro jogo da semifinal, diante do PSTC, machucado, foi desastrosa para o time do técnico Gilson Kleina, que não conseguiu achar um substituto a altura para os dois duelos decisivos.

A grande esperança é o meia venezuelano César Gonzalez, de 33 anos, que chegou ao clube há 40 dias, mas foi regularizado somente na semana passada. A demora aconteceu por conta da ausência do tratado de residência entre Brasil e Venezuela e, assim, houve uma burocracia maior para a regularização do meia, que é conhecido no seu país como “El Maestrico”.

Mas o Coritiba deve precisar ir ao mercado para trazer pelo menos mais um armador para a sequência da temporada. Isto porque Gonzalez foi convocado para defender a seleção da Venezuela na Copa América entre os dias 2 e 26 de junho. Porém, o jogador vai se apresentar no dia 16, na Espanha, para iniciar a preparação com a seleção venezuelana para a competição sul-americana.

Assim, Gonzales está à disposição apenas para os duelos desta semana contra Juventude, amanhã, em Caxias do Sul, pela segunda fase da Copa do Brasil, e no sábado, contra o Cruzeiro, no Couto Pereira, na largada do Campeonato Brasileiro. O armador alviverde pode perder até dez rodadas da competição nacional e também duelos pela Copa do Brasil neste período em que estará a serviço da seleção venezuelana.

Recuperado de uma lesão muscular, Juan iniciou na semana passada os trabalhos de transição e deve ficar à disposição de Kleina em breve. A situação do meia Dudu é um pouco mais complicada, já que o atleta ainda se recupera de uma lesão no tornozelo no departamento médico. Quem também deve voltar é o lateral-direito Ceará, recuperado de uma lesão muscular e que participou de alguns trabalhos com bola na semana passada.