O técnico Dorival Júnior não comanda o trabalho de hoje à tarde no Couto Pereira, mas terá a chance de se defender e buscar a absolvição pelo gancho de 30 dias que tomou pela expulsão contra o Santos. O treinador não pôde testemunhar no julgamento em primeira instância na semana passada porque estava dirigindo a equipe contra o Figueirense.

Agora, o departamento jurídico aposta todas as fichas na palavra do profissional, bem como na participação de Cuca, então no Peixe, que pode ajudar Júnior a escapar da punição e voltar à beira do gramado nos próximos jogos. Mesmo que não consiga a absolvição, o jurídico alviverde quer reverter o restante da pena em cestas básicas.