Somente perto do fim da temporada 2013 é que a sonhada dupla de ataque do Coritiba, formada por Deivid e Júlio César, poderá, enfim, sair do papel. É ela quem deve comandar as ações ofensivas do Coxa amanhã à noite,no Canindé, contra a Portuguesa. Em meio a lesões, opções táticas e técnicas, a dupla iniciou uma partida lado a lado somente uma vez na temporada. Mesmo assim, jogando isoladamente, foram responsáveis por 19 gols.

Uma das diretrizes no projeto do clube para 2013 era que Deivid e Júlio César se consolidassem como dupla de ataque. O primeiro passo foi a manutenção de Deivid, que já havia assumido a posição de “matador” no segundo semestre do ano passado, quando marcou oito gols nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro e livrou o Coritiba do rebaixamento. No início do ano veio Júlio César, apresentado como um dos grandes reforços pelo então superintendente de futebol Felipe Ximenes. Entretanto, dos 63 jogos do Coxa na temporada, os dois atacantes só jogaram juntos na vitória por1 x 0 contra o J. Malucelli, ainda pela 4.ª rodada do Campeonato Paranaense.

Vários são os motivos para o casamento não ter vingado. O mais recorrente foram as lesões. Em raros momentos da temporada os dois reuniram condições físicas ideais de maneira simultânea. Quando Júlio César não tratava de uma pubalgia, Deivid desfalcava o time com lesões musculares ou de ordem ligamentar. Mesmo assim, dos 11 atacantes que o Coritiba dispõe atualmente em seu elenco, os doi s são, de longe, os que mais obtiveram destaque. Em meio à crise técnica dos homens de área, Júlio César conseguiu se sobressair nesta reta final de Brasileiro, e alcançou o status de titular absoluto.

Allan Costa Pinto
Júlio César: 10 gols em 2013.

Seus 10 gols marcados em 2013 justificam a atual condição: correspondem à mesma marca alcançada por Bill, Keirrison e Bartola, autores de um gol cada, além dos sete marcados pelo angolano Geraldo. Quanto a Deivid, apesar de nesta temporada também conviver com problemas extracampo – como o atraso no pagamento de algumas parcelas do direito de imagem -, o jogador marcou 9 gols.

A parceria ainda não foi oficializada pelo técnico Péricles Chamusca, mas o meio-campo Alex, grande companheiro da dupla, já deu seu pitaco. Com Geraldo fora de combate, o jogador, que tem 27 gols no ano, único dentro do elenco com números superiores aos da dupla, espera aproveitar o entrosamento com Deivid para surpreender a Portuguesa. ‘Não sei qual é a opção do Chamusca, mas em relação ao Deivid a gente jogou muito tempo juntos, no Cruzeiro e na Turquia. Temos um conhecimento de movimentação dentro de campo, e é um entrosamento que já vem de muito tempo’, destaca Alex.