Experiente em clássicos e, principalmente Atletibas, o goleiro Edson Bastos não foge da ideia que se tem do confronto e aposta na concentração total para vencer o arquirrival no domingo.

Aos 30 anos, ele reconquistou a titularidade no Alviverde e é um dos pilares da equipe, junto com Jeci e Pereira, na reconstrução do clube após o vexame do ano passado.

No entanto, para o guapo, só rodagem não vai ser suficiente para vencer o Furacão. Por isso, ele não vê vantagem sobre Neto, que assumiu a camisa 1 aos 20 anos. Mesmo assim, avisa que vai à Baixada para vencer e garantir o “supermando”.

“Clássico geralmente é definido nos detalhes. A concentração é fundamental, uma bola parada é fundamental e a gente sabe que do outro lado tem jogadores que podem decidir. Então temos que ter atenção e quando aparecer a oportunidade temos que concluir em gol”, destaca Bastos.

Mas ele admite que as duas equipes têm todas as condições de sair de campo com a vitória. “Sabemos que é jogo diferenciado, que mexe com a cidade, todos se mobilizam em torno dessa partida. É uma oportunidade de conseguirmos de vez essa primeira colocação, vamos respeitar o adversário, mas vamos em busca da vitória”, avisa.

Nas contas dele será o nono ou o décimo clássico. “Se não me engano”, arrisca. Contas essas, que ele prefere nem acompanhar. “Eu não me preocupo muito com estatística e procuro sempre fazer o melhor. Já ganhei, já perdi, já fui campeão lá dentro, mas cada jogo é uma partida diferente e sempre as duas equipes procuram vencer até para termos uma semana mais tranquila”, analisa.

Assim, Bastos garante que os dez anos a mais de experiência sobre Neto não farão diferença. “Não, não tem vantagem. (Neto) É um menino que eu tenho acompanhado, vem numa evolução muito boa, vem demonstrando que tem qualidades”, elogia.

De acordo com o o goleiro coxa, o camisa 1 rival aproveitou a chance que teve. “Não digo que pegou uma fogueira, mas sempre tem a primeira oportunidade. Eu digo sempre para os meninos daqui, que trabalham com a gente, que tem que sempre estar preparado porque a oportunidade não tem data para aparecer e na hora que aparecer o jogador tem que estar preparado. E foi o que aconteceu, a oportunidade apareceu, ele estava preparado e está correspondendo às expectativas”, finaliza Bastos. Ontem, os reservas fizeram um jogo-treino contra o Internacional de Campo Largo e hoje o trabalho será em dois períodos.